terça-feira, 22 de setembro de 2015

Livro : Não sei como ela consegue

Oi todo mundo eu estou aqui comemorando porque depois de um ano, finalmente eu consegui terminar de ler o livro : Não sei como ela consegue da editora Rocco,


Primeiro eu assisti o filme, o nome me atraiu e eu pensei porque não, na época não sabia que tinha livro e não conhecia nada da história do filme e fui lá que na época trabalhava como uma louca e com uma recém mãe de uma bebe de seis meses com casa para cuidar, dez horas no mínimo de trabalho, toda a culpa de não ficar muito tempo com a filha e ainda quando chegava em casa tinha todo um mundo para resolver me identifiquei de cara com o filme e fui pesquisar mais sobre ele e bum achei o livro



Tive que comprar o livro e claro o filme não consegue passar nem metade do que é a loucura da vida da personagem principal Kate Reddy tem 35 anos, mora em Londres, é gerente de investimentos de uma grande empresa, vive entre mil viagens e tenta conciliar como pode a vida de ser uma grande profissional na área, esposa e mãe de duas crianças pequenas. Vive entre reuniões cercadas de homens machistas e invejosos e ainda precisa lidar com o Marido Richard e toda a pressão de ser a esposa perfeita mesmo estando sempre ausente em casa.

Kate não nega se sentir culpada pelas ausências, mas sempre descreve em não saber ser ela mesma sem ter o trabalho em sua vida, faz parte de quem ela é. A cada página do livro eu pensava que loucura eu não conseguiria ser assim viver nesse ritmo louco e não estar perto da minha menina ( sim ao iniciar a leitura eu estava grávida da segundinha e não sabia disso). Ela mal vê seus filhos, emenda uma viagem de trabalho na outra e sua vida é um caos total. Não tem controle de nada que acontece em suas vidas e não participa das principais decisões das crianças pois não esta ali na hora que acontece então precisa viver remediando a culpa e o caos.





A minha leitura até que estava fluindo bem, mas eis que o sono bateu forte, o cansaço ganhou nos meus poucos tempos livres que eu tinha para a leitura ( eu lia o livro nos meus quinze minutos antes de iniciar o trabalho pela manha e na hora do almoço) e o resultado positivo apareceu no exame e a saúde exigiram cuidados extras e o livro ficou de lado até agora, um ano depois .

Voltei a leitura e passei a não compreender mais a personagem, antes eu achei que era por ter ocorrido a ruptura da leitura e com isso perdido um pouco a dinâmica do livro, mas a verdade foi que eu perdi a conexão com a personagem, veja bem eu não vivo mais a loucura que descrevi acima, hoje a minha função principal é ser mãe e passei a ver Kate com outros olhos, não a vejo com os olhos recriminadores das Mães Martha Stewart (como ela chama as mães dona de casa perfeitas), mas com olhos de uma mãe de eu sei o que ela está perdendo e sei como ela consegue.

O livro é fantástico apesar de todos os clichês de um livro que fala sobre uma mulher que trabalha fora com uma carreira em ascensão importante e num universo machista, sobre o marido que apesar de ajudar e dividir as tarefas não sente o peso e diferença da responsabilidade de ser cobrada por ser mãe e mulher e muito mais. 

A leitura chega a ser cômica e muitas passagens tenho certeza que foram tirada do meu diário , afinal que mãe que não tem uma boa historia de supermercado para contar que foi um caos e queria se atirar no chão como criança e fazer birra de não quer mais brincar de ser adulto? Festas de aniversário... caos total sempre tem algo para por panos quentes? Eu tenho certeza que ao voltar trabalhar fora de casa, me lembrarei de Kate e tentarei equilibrar melhor os pratos para quando eu estiver em casa, eu tenha uma qualidade de tempo boa para a minha família e ter tempo para cuidar de mim também.

Vale muito a leitura! Alguém tem mais livros sobre esse tema para me indicar? eu cheguei a caçar em muitos lugares, mas não encontrei algo parecido com o gênero, se souber me deixa a dica nos comentários que vou adorar ler.


Até mais!

Nenhum comentário: