segunda-feira, 19 de dezembro de 2016

Resultado das 16 metas para 2016

Logo o ano de 2017 irá se iniciar e só posso dizer que apesar de todos os tropeços eu atingi um bom resultado este ano. Não foi fácil, mas aprendi o principal, aceitar os resultados negativos(ainda mais quando apenas são os reflexos da falta de empenho em alguns projetos), a não me julgar tanto, me perdoar mais e respeitar as minhas dificuldades e medos.

Talvez tenha sindo uma ano muito mais de aprendizado do que de ganhos, apesar que ganhei muita coisa boa e tudo isso só me agregou ainda mais.

Eu havia feito uma lista de 16 metas para 2016 e chegou a hora de revisita-lá e ver o que atingido ou não e nada melhor de voltar com o blog com esse post, um bom balanço para este ano.

01- Ler mais livros - pelo menos 5 - Li alguns livros sim em 2016, a meta de 05 foi alcançada e trabalharei mais isso em 2017, quero voltar a ter um bom fluxo de leituras porque acho que melhora muito meu humor quando estou em contato com a literatura

Livros lidos:
- O curioso caso de benjamim botton - F. Scott Fitzgerald
- Como vencer a maratona dos concursos públicos - Lia Salgado
- Brida  (releitura) - Paulo Coelho
- Adultério - Paulo Coelho
- O vencedor está sós - Paulo Coelho - Esse está em curso e acredito que até o fim do ano eu consigo terminar.

02- Fazer mais passeios ao ar livre com as meninas- Meta alcançada , um desses passeios foi no dia da criança, onde resolvemos ter um dia especial e visitamos o Orquidário e o Aquario, em vez de ficar em casa apenas centrado nos brinquedos e na televisão dedicimos passar o dia passeando e mostrando coisas diferentes para as meninas, elas amaram!

03 - Me dedicar ao blog- Humm essa daria até para pular, algumas coisas tiveram que ficar de lado pois esse ano foi um período de adaptação, porém apesar de tudo o blog até que ficou bem ativo apesar de não terem sido constantes atualizações e interações, quem sabe em 2017 eu consiga melhorar isso.

04-Colocar o GTD em prática - Não consegui- mas até que estou mais organizada do que seria em algumas áreas.

05- Fazer mais uma tatuagem - Fiz uma com a mamis, ela escolheu o desenho e o local.

06-Ir na Bienal dos livros -no ultimo fim de semana decidimos que talvez ficaria muito cansativo para as meninas e consequentemente para nós e de ultima hora desistimos, ficará para a próxima com certeza já que elas amam livros

07-Tirar mais fotos - humm não... a maioria das vezes esqueço de tirar, acho chato porque alguns momentos passam sem registros, porém todos estão sendo muito bem aproveitados


08- Estudar Inglês em busca da minha certificação - Cheguei a pesquisar sobre os cursos necessários, porém acabei por me decidir a voltar para a faculdade e adiei mais um pouco essa meta.

09- Arrumar um espaço para o meu escritório - Não consegui isso e falta de espaço está em todos os cantos da casa, a sala está ficando pequena e o quarto também!

10 - Enquadrar as fotos - não fiz!

11- Revelar as fotos dos álbuns  de Bebê - Não fiz!

12- Ser mais organizada - não cheguei nem perto, pelo contrario, agora  no fim do ano as coisas desandaram de vez no quesito organização domestica, porém eu destralhei muita coisa em casa.

13- Brincar mais com meus jogos de tabuleiro - eu nem mexi neles este ano

14- Ser mais positiva e acreditar em mim - outro item muito difícil : manter a positividade e confesso que em muitas vezes quis desistir de tudo que havia proposto pra mim, não alcancei tudo, mas o aprendizado de cada fase me fez mais forte!

15- Aprender a lavar roupa branca- pode parecer bobo, mas estou quase lá, as meninas usam uniforme branco e imagina meu desespero apos retornar da escola, muitos passeios ao parquinho de terra vermelha e ao almoços com molhos de tomate e beterraba, falta pouco para me tornar master, mas estou contente com o resultado.

16 - Realizar todas as metas acima e realizar novas metas- Não foram todas, porém a maior satisfação foi a realização de metas realistas e do aprendizado envolvido em todas elas. Agora preciso pensar em tudo o que aprendi e me preparar para 2017 e as novas metas para 2017!

segunda-feira, 5 de dezembro de 2016

Férias

Oi gente tudo bom?

Ando muito desmotivada nos últimos tempos e não ando escrevendo e cuidando do blog como gostaria, ando precisando de férias e apesar de não poder tirar férias de todo o resto que realmente pesa, resolvi que o blog está por tempo indeterminado de férias.

Beijos a todos que me seguem e sempre me deixam mensagens de incentivo.

Até mais!!!

domingo, 30 de outubro de 2016

Projetos para o mês de novembro

Projetos de novembro

Oi todo mundo, como vocês estão?

Eu estou dando quase se encerrado o mês de outubro e estou planejando o mês de novembro e as coisas que eu quero que realizar. Algumas coisas não dependem unicamente de mim, preciso da ajuda do marido também e aí já depende da agenda e disponibilidade também, mas se não se programar nada sai do papel não é mesmo.

Terminar o Semestre da faculdade - com graça e leveza rs, neste mês farei um pouco cada dia para não acumular os prazos finais, como foi no ultimo mês. Ainda está simples e curtinha, sem muitos extras pois estou no primeiro semestre ainda.

Terminar de pintar a sala - Sim ainda não terminei, vergonha total disso, a única parede que está faltando é a parede que tenho que tirar todos os moveis para pintar e pretendo fazer isso no primeiro fim de semana do mês.

Pintar o quarto - comprei o papel de parede para instalar e até agora não o fiz pois não pintei o quarto ainda, pretendo fazer neste fim de semana também, assim já posso por o papel de parede e continuar o projeto de decoração do quarto

Parar de roer a unha- tinha esse hábito a milênios atrás e não sei bem o porque (mentira sei sim) ele retornou e estou lutando para reverter isso.

Iniciar a decoração de Natal- está quase ai batendo na porta e se eu já amava ver a casa toda decorada, imagina agora que tenho duas crianças pequenas que ficam fascinadas com a decoração.

Ler mais livros - aqui  entra dentro de um subtópico muito importante, foco... estou precisando de foco e me reorganizar, tenho feito muita coisa picada e não estou obtendo resultados e no fim tenho lido uma folha por dia e passa tempos com o livro na mão.

E talvez o ultimo grande projeto do mês de novembro seja agendar todos os mil posts escritos desde setembro que estão todos em blocos de notas salvos no meu e-mail... cada vez escreve mais e divido mais, porém estão todos lá escritos me esperando terminar, editar, colocar uma fotinho bonitinha e publicar... acho que não estou digerindo muito bem os assuntos, por isso nunca sai.

sexta-feira, 28 de outubro de 2016

Paraiso verde

Tem dias que parece que o tempo simplesmente para

As coisas deixam de fluir, o sono bate de uma maneira descomunal e tudo o que queremos é fugir para um novo mundo.

Pelo menos eu sim.


Nesses dias eu sinto muita falta do sol, de sentir a natureza e olhar para o verde e como nem sempre fugir é possivel, eu paro uns minutinhos, nem que sejam dois mesmo e uso o método de visualização para fugir da selva de pedra e computadores que estão ao meu redor

A imagem que mais me vem a cabeça nesse momento é justamete essa, do paraíso verde. Consigo até sentir o calor morno e agradável na pele.


Sou muito grata por todas as oportunidades que eu recebo, principalmente de ter essa imagem como uma lembrança pra mim e poder recorrer a ela quando preciso sentir a natureza perto de mim.

No paraiso verde, à noite é tão linda como o dia e quando chove de madrugada eu não resisto, ela me atrai eu sempre acordo e fico observando as gotas cairem nas plantas e ouvindo o seu som tão característico.

Das coisas que me faz mais falta numa época de vida corrida são essas pausas na natureza, sinto necessidade de ver o movimento das nuvens, apreciar uma folha balançando. Talvez porque fui criada em casa, com muitas plantas e observar a natureza era parte do meu dia a dia. Talvez porque uma das diversoes que nos eram permitidas era ir a praia e lá deitada eu passava horas do dia desacelerando vendo o céu, sentindo as ondas, adorava dormir na praia, hoje vejo que era meu estado de relaxamento total, era meu Mindfullness, eu estava ali, presente.

sexta-feira, 14 de outubro de 2016

Novo Corte de Cabelo

 E quem cortou o cabelo curto e mudou a tonalidade do cabelo... Pois é eu! Eu já tinha cortado em casa eu mesma o meu cabelo num log bob, no meio da semana, eu até tinha procurado alguns salões e sempre eles estavam muito cheios e eu não conseguia hora sem marcar e depois eu perdia a coragem e desistia de cortar, aí quando a vontade bateu de novo passei a tesoura em casa mesmo. 
Fiquei um mês com esse corte mas ainda queria mais curto, porém não tinha coragem de cortar mais curto sozinha sem errar demais, aí fui no salão bem perto do trabalho num dia de messy hair e cortei mais curto ainda. Estava muito afim de mudar, se vou ter cabelão de novo eu sinceramente não sei, a tesoura tem sido muito convidativa para uma pessoa que está se propondo a mexer muito na vida, o cabelo meio que representa isso também. A cor foi um teste, estou ainda nos tons vermelhos, porem comprei um pouco mais claro apenas.  Aproveitando que o cabelo de tintura castanha saiu completamente no corte, quis deixar um pouco mais claro também e se eu não me acostumar, basta na próxima vez usar a cor mais escura de novo, pois vermelho desbota que é uma maravilha.  Eu acho que se eu tivesse um tico a mais de coragem, cortava mais curto ainda! Porém tenho u certo receio de me arrepender e passar pelo período turbulento que é o crescimento do cabelo, pelo menos sei que de um Chanel até um pouco abaixo dos ombros levam mais ou menos doze meses. 


O que me ajuda a não fazer grandes loucuras capilares é que tenho só uma hora de almoço, que não permite fazer grandes transformações, no fim de semana estou sempre tão ocupada que eu esqueço por exemplo de buscar um novo salão para marcar hora e até esperar para um próximo fim de semana para fazer ou perco a coragem ou já não tenho mais vontade de mudar.


 E nem vem fazer depois do trabalho, ainda tem tanta coisa para fazer de noite que passar mais algumas horas sentada no salão parece castigo (é eu não sou uma pessoa que é chegada em salão mesmo, o ultimo que fui faz um pouco mais de um ano e meio quando cortei o cabelo que estava na cintura até a altura dos ombros)



E Esse foi o resultado de agora do cabelo, estou simplesmente apaixonada por ele, e quer saber, está me dando vontade de na próxima vez deixar mais curto ainda!

segunda-feira, 10 de outubro de 2016

Momento desabafo : um dia de sono!

s e ver o que realmente queremos da vida.
 Um dia desses fui trabalhar com muito sono, mas muito sono mesmo, sentia meus olhos super. inchados, a mente lente, bem naquele estado que ficamos antes de dormir que os olhos fecham lentamente nas suas piscadas e sentimos o corpo mole e pesado. Não tinha como dizer que a minha mente estava longe, porque na verdade ela não estava em lugar algum, cada tentativa de me concentrar em uma linha de digitação era um esforço enorme, para piorar a minha situação eu estava fazendo conciliação de contas, ou seja um serviço para uma mente ativa e conectada e não no estado zumbi que eu me encontrava, tive que arrumar vários erros de data ( estava fazendo 2015 e vivia colocando o ano de 2016 e no sistema que trabalho só excluindo e inserindo novamente a informação), concluindo nada produtiva. Fora a minha cara taciturna, eu não estava mal-humorada, mas meu semblante estava tão fechado e a minha voz tão seca que eu aparentava estar muito brava e não era isso que eu queria transmitir, porém quem disse que eu tinha forças para isso. 


Prezo muito meu sono e dormir bem, sou daquele grupo de pessoas que precisa dormir 8 horas por noite e acordar o tempo todo também não me ajuda. Nesse dia foi uma exceção tive uma festa no dia anterior, dormi muito tarde e a sensação que a noite não foi bem dormida também. Tinha tirado um cochilo a tarde para o estrago não ser muito grande, porém pelo visto não deu muito certo isso. Comecei a ficar irritada com a sensação do meu corpo e de não estar produzindo direito, meu pensamento foi mudando ao longo dos anos, se estou ali no meu trabalho, gosto de me dedicar a ele e ficar lutando com os olhos para não fecharem não é nada produtivo. Além de dormir melhor, dormir mais, o que vocês fazem quando o organismo bate essa sensação? Alguém tem alguma dica, um mantra, um exercício para animar o organismo? Ps¹. A dica mais legal que eu recebi e sim testei e posso dizer que funciona é ir ao banheiro e dar uns pulinhos/polichinelo, apesar do exercido dar uma sensação de relaxamento no organismo, a adrenalina dá uma sacudida no corpo e deu para acordar e não bater a cara no teclado. PS². Baldes de café não fizeram nem cosquinha no meu organismo, o hábito do consumo da cafeína é tão grande que tomar o café não ajuda a ficar acordada, porém se eu não tomar fico com enxaqueca. Ps³ se a parte da manhã foi complicada, imagina na parte da tarde que eu sabia que era ela (o período da tarde) que me separava de uma boa cama para dormir?

sexta-feira, 7 de outubro de 2016

É chegado a hora

É preciso saber a hora de parar o café, a hora de simplificar a vida,
de tomar uma birita e de fazer as pazes com a vida.

É preciso saber a hora de cortar os cabelos, mandar um beijo ao vento e aceitar o seu acalento.

É preciso saber a hora de parar de comer glúten, de comer uma maçã por dia, fazer aquela caminhada e colocar o chá no cardápio do fim do dia.

É preciso aceitar as ruginhas ao pé dos olhos, os brincos diminutivos e uma boa taça de vinho.

É chegado a hora de deixar partir aquilo que não lhe cai bem, aquela saia que não entra mais, aceitar aquele jeans mais alto.

É chegado a hora de deixar o refrigerante de lado, de aceitar que certas pessoas que ficaram para trás e que de fato a vida ficou bem melhor assim.

É chegado a hora de aceitar levar um casaquinho na bolsa, não sair de cabelo molhado, de dormir de meia no inverno.

É chegado a hora de voltar ao sagrado, celebrar as raízes e permitir as folhas caírem.


Feliz 32 anos pra mim!

quarta-feira, 5 de outubro de 2016

Diario de uma EAD - Meus primeiros quinze dias!

Oi Todo mundo, hoje eu contarei como foram os primeiros dias da Faculdade à distância e já vou adiantar, se você quiser fazer isso direito, vai ser pesado e até mais difícil do que a presencial e já t e explicou o porquê, na presencial o fato de você estar ali presente, ouvindo e participando das aulas já valem como uma " nota de participação" como diriam os professores de antigamente, essa nota te ajuda naquele meio ponto, a sua presença já te ajuda a "chutar" uma questão que você não lembra muito bem... Agora no ensino a distância eles não tem como controlar se você está realmente participando e lendo os conteúdos ( e não vale dar aquele oizinho no fórum e apenas mudar as palavras das mensagens anterior) então a saída é muita atividade avaliativa, além de vários trabalhos e muito conteúdo para ler, muito mesmo.



Eu sabia que tinha que ser organizada (novamente, se você quer fazer isso direito rs) que eu teria que manter os controles das aulas e atividades para não acumular e ainda teria que saber distribuir meu horário, porque não tenho um lugar especifico em casa onde eu possa me isolar e estudar sem interrupções.

A falta desse isolamento prejudica muito e esse quesito eu não tenho muito como resolver é administrar a bagunça em volta e abstrair as distrações. A mesa que eu uso para estudar é muito pequena, porém é a que tem mais tomadas próximas, até pensei em colocar uma extensão e utilizar a mesa de jantar, mas um fio no meio da sala com duas pequenas correndo e brincado não é muito seguro.

Comecei as aulas atrasada, pois é eu nem sabia que isso era possível, fiz a matricula no último dia (dia 12 de agosto) e as aulas já tinham começado desde o dia 08 e demorou mais ou menos uma semana para ter acesso a plataforma de estudo, então quando eu obtive o acesso quase caí para trás com o volume de coisas para fazer e entregar que estava ali a menos de uma semana.

Para ajudar não foi uma semana nada tranquila, as meninas não tinham aula e o meu marido precisou ficar com elas no horário convencional de trabalho e indo trabalhar à noite, estava muito frio, ficando doente o tempo todo e acabei muito estressada e ansiosa por não achar que daria conta.

Para sentir o drama, um vídeo com duração de 15 minutos, levei mais de meia hora para assistir, ok que parei algumas vezes porque eu precisava fazer as anotações, mas muitas vezes eu simplesmente não conseguia ouvir/prestar atenção porque a bagunça corria solta. Horas as pausas eram urgentes (uma fralda ou uma parada estratégica para levar a mais nova ao banheiro) e outras pausas eu tentando ser a mulher maravilha e tentando fazer tudo ao mesmo tempo (o almoço e jantar... corre para desligar a panela... corre para ligar a máquina que já estava de molho para dar tempo de pendurar tudo antes de dormir) e claro assim não funciona.

Demorei para compreender que não é porque eu estava em casa, que deveria fazer tudo ao mesmo tempo, precisava descansar, respirar e ainda sim encaixar todas as necessidades ao meu favor.

Não ajudou ver o quanto de matéria eu teria pela frente (a plataforma do semestre é liberada de uma vez só) isso me fez ficar mais ansiosa e achar que não daria conta.

Também uma overdose de lição uma única vez também não ajuda - passei um fim de semana todo sentada sem uma única pausa, para tentar pôr tudo em dia - não funcionou, também gerou estresse e cansaço e quando chegou domingo à tarde, tudo o que eu lia não fazia mais sentindo nenhum.

Então os maiores erros que eu cometi nesses primeiros quinze dias foram:

_ Subestimar a quantidade de matéria, eu sabia que seria um conteúdo extensivo mas achei que seria fácil e de rápido execução;
- Não preparar o espaço do estudo com antecedência, minha primeira aula a mesa estava entulhada de coisas que não pertenciam ao lugar, porem como já estava em cima da hora eu tinha que escolher entre arrumar a mesa ou fazer as lições;
- Ficar ansiosa, ok é muita coisa sim, mas é melhor ficar preocupada no fim do semestre e não na primeira semana de aula achando que não vai dar conta;
-Achar que trabalhar muito picada uma matéria iria fazer diferença, não faz, tipo eu tinha as vezes dez minutos de folga e ia correndo pro computador, não dava tempo nem de meia absorver meia folha de matéria, era melhor usar esse tempo em outra tarefa menor e com isso ter mais tempo livre depois para estudar com mais tranquilidade.

E apesar de ser uma pessoa que busca uma organização constante (aprimorar sempre a técnica) me vi confusa e perdida nesse início, foi pura ansiedade e afobação. 


Até o próximo diário pessoal!

sexta-feira, 16 de setembro de 2016

Aprendendo a Empreender em você mesmo como um projeto de vida.

Esses dias estava pensando no porque de algumas idéias não irem adiante, qual seria a diferença do fazer acontecer, porque um empreendedor consegue montar seu negócio e ir adiante e uma simples ideia de um projeto caseio não saia da mente quanto mais do papel? Qual era a peça chave do erro aqui?

E aqui não estou dizendo em como montar seu proprio negócio, estou dizendo sobre um projeto de vida, algo caseiro mesmo. Um exemplo disso: Você quer casar, ter uma festa, uma viagem, montar a casa e tudo o que envolve ao assunto. Isso pode ser chamado de um projeto né, é um projeto com data, que precisa de recursos, envolve outras pessoas, mesmo que dinheiro não seja problema e você pague para alguém montar tudo para você, ainda sim precisará de reuniões e de tomar algumas decisões. E com algumas planilhas, decisões tomadas, o casamento começa a tomar forma e se tornar o evento que estava no papel.

Com isso em mente, porque não emagrecemos (que é meu caso ok), não aprendemos a falar aquele idioma que tanto nos interessa ou manter uma meta de livros lidos por mês (filmes/seriados tanto faz) com a mesma eficácia? Ah porque envolve dinheiro e organização.

ok

Concordo.

Tudo gera em torno da organização, porém o que nos leva a desistir e não levar projetos pessoais adiante. porque nao criar um projeto, ali no papel mesmo, desenhando metas e levando a serio, como um trabalho, como algo muito importante mesmo e unicamente você pode realizar e concluir.

A imensa vontade de ver o "algo" acontecer não deve ficar limitado ao mundo dos sonhos, buscar alternativas, estudar métodos, descobri qual se encaixa. Pesquisar, estudar, planejar e agir. Fazer com o que o seu projeto pessoal seja ele qual for tenha uma grande importância na sua realização e fazer ele acontecer levando as ferramentas do empreendedorismo para a vida real, porque tudo pode ser reaproveitado .

Isso tudo (e muito mais) veio como uma avalanche em cima de mim, após eu abusar novamente de uma refeição e ao me deparar na rua vi uma pessoa com a mesmo tipo de roupa que eu e me espantei como eu parecia desengonçada, feia. Não se preocupem com esses adjetivos ok. eu simplesmente coloquei o que servia, naquele momento e sem ao menos reparar na minha imagem. O xis não é ser magro e sim o que a sua imagem representa, tem blogueiras plus size que eu vejo simplesmente arrasando, o tamanho não faz diferença, pois elas cuidam de si e que cuidados eu estava tendo comigo mesmo ( sempre dando desculpas para a falta de empenho)

Bum

Falta de empenho... qualquer coisa de qualquer jeito estava bom... Achei uma peça do quebra cabeça, não adiantava pensar se eu não colocava no papel, não desenha o caminho e não me empenhava para chegar nos resultados.

Querer resultados diferentes sem buscar por eles?

Não estou dizendo de muito não, estou dizendo de coisas pequenas, básicas, da sacola de roupa para doar dentro do armário esperando você tomar a atitude que falta para ela sair de lá, falta o lugar para doar? o horário?

Sente, pegue um papel, quem sabe uma caderneta que possa te acompanhar nesse projeto de empreender em você mesmo e seja teu assistente, liste tudo do começo a fim, tudo que precisa fazer das pequenas coisas a grandes coisas, não pense assim não terei descanso, não pense eu prefiro o sofá, se ele é teu projeto ok.. aceite ele como teu projeto e liberte-se da frustração do não é pra mim, eu não consigo.

Vamos lá, vamos junto alcançar o nosso pódio, vou fazer esse projeto de "empreender em você" mesmo.

* Aniversário da Lili - tá chegando e nada, nada resolvido, até agora, catei meu caderno e já estou planejando o que preciso e o que tem que acontecer.

* semana da faculdade - preciso em uma semana adiantar duas, porque na semana do aniversário terei outra prioridade e não posso correr risco de não entregar alguma atividade.

* Cardápio da semana uma semana de cada vez, um passo de cada vez.

Tem outros itens, montei a prioridade para os quinze dias de setembro, dei uma verificada também no que eu queria realizar em 2016, ainda dá tempo, todo dia é dia!

Vem comigo me acompanhar na saga do "Empreendendo em você mesmo "

terça-feira, 13 de setembro de 2016

Eita que eu dei uma descontinuada na vida

Farmácia... o vilão das moedinhas.

Oi Gente como vocês estão?  Essa semana precisei ir na Farmácia comprar o combo dos remédios do mês, como o cansaço estava grande e a mente hiper dispersa, a vontade era de comprar várias bobeiras baratinhas para ver se o ego dava aquele up, porém logo lembrei que aos poucos estou retornando ao consumo mais consciente. Remédios caros, porém necessários, filas longas, filas como separadores cheios de tralhinhas, já viu né se não trabalhamos a mente, logo adicionamos um esmalte aqui, um lip balm, uma balinha e logo a conta aumenta sem nem perceber. Estou tentando rever alguns gastos, cortar futilidades, porque no fim só geram volume e sempre usamos as mesmas coisas, estou provisionando compras para o meu guarda roupa e ver o que realmente preciso para a próxima estação e só comprar o que faz parte da lista. Tenho algumas coisas que quero comprar, mas não estou lá com muita vontade de ir em shopping ou lojas para riscar um item da lista, então está lá anotado e quando achar algo que valha a pena, eu risco.

Para falar a verdade, eita semaninha que começou arretada, hoje é terça e já estou acabada como se fosse sexta, passei o fim de semana ruim, reação aguda a intolerância a glúten (sim, fui sem vergonha e consumi glúten com se não houvesse amanhã só que houve, um fim de semana inteira com várias reações só para me lembrar que o pecado  sai caro) e hoje ainda não estou legal e continuo pagando pelos pecados (sim foram vários também), sem contar que estou extremamente inchada e com cefaleias por causa dessa brincadeira o que diminuem o meu rendimento (além dos outros sintomas que não convém ficar falando por aqui)

Para deixar meu coração mais miúdo e meu corpo mais cansada, minha primogênita está doente, não sabemos muito bem o que é (já levei no médico, disse gripe, porém os sintomas não estão batendo, deve ser mais uma dessas viroses da vida. Não dormi de domingo para segunda e muito menos de segunda para terça. Juro que não sei como ela conseguiu, mas teve uma hora nessa madrugada que ela não achava mais posição para dormir e ela conseguiu chutar o abajur e todos os itens que estavam na mesa de cabeceira da minha casa, detalhe eu estava deitada do lado da mesa e ela no meio da cama, só para sentir como tem sido os meus dias ultimamente.

E a faculdade menina?

bom tá indo, empurrando e correndo quando precisa. Está faltando comprometimento e dedicação, a verdade é que não estou sabendo separa e lidar com tudo ao mesmo tempo como por exemplo a duas semanas lidando com a reação da intolerancia e o mal estar da minha pequena, eu finalmente estava com tudo em dia e agora já desandou tudo de novo, até pensei em parar e esperar, mas não é o que eu desejo no fundo, portanto vou fazendo o que posso e como posso.

Estou um pouco desanimado por ter perdido o foco e caído o meu ritmo, ando muito cansada e estou deixando maus hábitos retornarem, o sono está bem descompassado e chego em casa somente com energia para o jantar e ficar com as minha pequenas

O post era para falar de que estou tentando não gastar com futilidades, depois pensei em  dizer porque estou sumida e no fim virou um desabafo, blog de vida real tem dessas.

Bom não sei se amanha vou postar o primeiro diário de Ead que está pronto a quase duas semanas, mas até sexta eu coloco no ar.

Beijos e até mais!

terça-feira, 16 de agosto de 2016

Nova programação do blog

Bom dia pessoal tudo bem?

O blog irá passar por algumas mudanças de programação e resolvi publicar aqui as novas mudanças.

As segundas serão dedicadas as resenhas de livros, filmes, seriados  em sua maioria. Também deixarei para segunda o diário da realização, que irá contar um pouco mãos sobre a minha experiência dos estudos alternativos. (Chamar de terapia de auto ajuda não é concebível para mim)

As quartas feiras são do diário de um estudante, a minha jornada ead e os assuntos relacionados a gtd e demais métodos organizacionais

E já as sextas ficarão com o diário da vida caseira, onde falarei sobre a maternidade, casa, comida, desabafos de uma vida moderna e arterices.

Não vou prometer postagens nos três dias da semana, porém toda semana terá algo por aqui.

Espero que me acompanhem nessa nova jornada, beijos e até mais

quarta-feira, 10 de agosto de 2016

Desabafos de uma realidade

Oi todo mundo

Sumi eu sei, o blog só não ficou mais vazio porque eu tinha me organizado e escrito muita coisa por aqui.

Parei de estudar - desisti de estudar um curso de línguas por conta própria - por pura falta de organização, me senti cansada demais e  achei que o esforço não valia a pena no momento.

Entrei na academia, me animei, a casa entrou num novo ritmo  - todos adoecemos - parei a academia (infecção  respiratorio com direito a crises de bronquite), entrei na faculdade, me chatiei no serviço ( ou deixei ser contaminada pelos outros? Estou em dúvida sobre isso)

Questionei a minha participação nas redes sociais, abandonei o  facebook, twitter e praticamente o instagram também, desisti de escrever e me questionei porque continuar com o blog.

Não comprei presentes para o meu pai e muito menos do meu marido - me falta inspiração e nada parece o ideal, tudo caro demais ou sem identificação pessoal.

Surtei, me achei sem propósito e então porque continuar escrevendo? Se justamente os assuntos que eu mais gosto de escrever e mais me identifico não estavam mais fazendo sentindo?

Flertei com os livros, enchi prateleiras, joguei fora tantas outras referencias passadas que empoeiravam, mudei o quarto de lugar e nada aconteceu... o que eu precisava fazer afinal?

Passei a acreditar que não fazia parte do seleto grupo que se inspira e inspira, olhei novamente os livros, mas suas palavras não faziam ser compreendidas por mim.

A comida esta sem graça e mesmo assim resolvi comer, até as coisas que não me faziam bem, até quando não estava com fome, resolvi que deveria desempenhar meu papel na sociedade e nele estava escrito as horas de alimentar-se

Resolvi desistir, entrei no limbo, deixei -me poluir por tristezas que não eram minhas mesmo diariamente agradecendo (de verdade) pelas graças recebidas, rezei deixando as palavras fluirem.

Resolvi tentar, mais uma vez e mais uma vez, aceitar a minha diferença, que talvez eu possa até nao participar do mundo que eu realmente acredito e assisto, mas continuarei tentando, continuarei escrevendo, continuarei rezando, continuarei vivendo, mesmo que para isso eu fico um pouco a parte nos lugares que visito, tudo bem, eu sei a que mundo pertenço.

quarta-feira, 20 de julho de 2016

SÉRIES EM ANDAMENTO.



Essa semana estava pensando com os meus botões quantos seriados estou assistindo ao mesmo tempo, a maioria deles são pelo Netlflix, pouquissimos estou assinstindo simultaneamente com a tv.

E como a curiosidade foi grande, resolvi fazer uma lista de todos os seriados que estou vendo atualmente só para ter noção da loucura , ou apenas ver quantos episódios estou atrasada ( ou ficarei) nessa nova rotina que eu entrei. 

NOVAS:

Gossip Girl - Vejo de vez em nunca, mas quero saber o que acontece com aquele povo todo, assistia com mais frequencia quando não trabalhava, porém agora o tempo está mais apertado.
How Get Away with murder
American Horror - estou na segunda temporada e só assisto sozinha e na maioria das vezes enquanto passo roupa 
Penny Dreadfull - adorando esse seriado a cada episodio que assisto, também esta na lista dos seriados que só assisto quando estou sozinha e na maioria das vezes quando estou passando roupa



House of cards - estou na primeira temporada (no terceiro capitulo creio eu) e já me arrependi de ter começado a assistir porque achei muito boa rs. Nem sempre assisto o episódio inteiro pois estou vendo antes de dormir, quase não passo de uns 20 minutos por dia.
Greys anatomy- esperando sair a ultima temporada no Netflix
Scandal- esperando sair a ultima temporada no Netflix
Downton Abbey-  esperando sair a ultima temporada no Netflix


Ressurection (parei na metade do segundo episodio da segunda temporada, preciso retomar esse seriado)
Sense 8- está na entresafra estou esperando sair a nova temporada no Netflix
Vicking
True Blood - estou na ultima temporada e só assisto quando as meninas não estão por perto e por isso demoro tanto para terminar



Big love- faltam só duas temporadas para terminar o seriado
Fuller House- assisti a primeira temporada no Netflix e ela foi renovada, entao mais uma para a lista de acompanhar
Quantico- estou terminando a primeira temporada, porém pra mim já perdeu um pouco a graça o serido, a curiosidade ficou agora de como terminará, ela também foi renovada
Quantum - Já tem post sobre ele aqui, esse seriado  tem 04 temporadas e foi cancelada. Não sei se retomarei assistir a partir da segunda temporada e nem lembro mais como terminou a primeira de tanto tempo faz, provavelmente abandonarei esse seriado


Between - Também acompanho apenas pelo netflix, terminei a primeira temporada e já vi que tem a segunda disonivel. Essa eu achei muito interessante, só nao terminei ainda por falta de tempo mesmo
Game of Trones - entresafra, esssa está em dia
Arrow - Entresafra, também está em dia
The big bang theory - Adoro, está na lista das minhas favoritas, está em dia e também está na entresafra

Tenho certeza que nessa lista deve estar faltando alguns seriados que estão parados no meio do caminho e não estou lembrando neste momento

ASSISTINDO NOVAMENTE:

Gilmore Girl
Dexter - Estou na quinta  temporada já, só assisto  quando vou passar a roupa pois não me prendo a detalhes e me distraio da tarefa.

Para o meu alivio essa ultima categoria está somente com dois seriados, sinceramente achei que estava assistindo mais reprises.

A maioria dos seriados eu assisto enquanto estou fazendo alguma coisa, arrumando o quarto, passando roupa, são poucos que eu realmente assisto com o único foco de prestar atençao neles ( isso quando não estou desenhando e o marido está assistindo algum desses ) Cada vez mais eu tenho reduzido o uso da tv,afinal preciso aproveitr o pouco tempo livre que tenho de modo efetivo.

Agora eu entendi porque muita coisa está atrasada , kkkk teria que passar muitos dias só assistindo a tv para conseguir colocar tudo em dia - meta agora é não começar a assistir nenhum seriado novo. Haja pipoca !

Até mais!

quarta-feira, 6 de julho de 2016

Pensando a longo Prazo

Já parou para pensar que a cada ano que passa o objetivo de parar de trabalhar (a tão sonhada aposentadoria) fica cada vez mais longe? Seja por planos econômicos do governo ou até mesmo por desejar uma qualidade de vida melhor (algo que uma simples aposentadoria não consegue suprir).

Com isso em mente em como quero estar daqui a muitos anos pela frente resolvi bolar melhor meus objetivos e pensar mais a longo prazo. Por exemplo minha carreira é algo viável a longo prazo? Ela pode se transformar? Estou me preparando para as transformações? Minha casa aguenta a minha estrutura familiar, as despesas para manutenção se enquadram no nosso custo de vida? E assim por diante.

Com todos os meus objetivos em mente, estava na hora de mapear em como chegar lá e fazer com que eles conversam em entre si pensando no que desejo alcançar a longo prazo e se e ele contribuirá de alguma forma para o que eu quero fazer de verdade.

com isso em mente defini alguns objetivos a longo prazo e mapiei o que preciso fazer para atingir esses objetivos:

- Lecionar :já era um sonho antigo, porém nunca coloquei metas para que isso acontecesse e muito menos defini como isso poderia acontecer e agora que tenho isso claro como meu objetivo preciso tomar algumas medidas fazer um MBA - crucial para lecionar em faculdades, aumentar a leitura de textos científicos; escrever mais sobre o assunto; buscar interagis com mais pessoas da minha área; organizar meu tempo livre para o estudo e para as demais obrigações que competem a área.

-Dirigir :  É uma barreira que eu tenho, já precisei usar o carro e por receio da falta de pratica preferi tomar chuva e ônibus com a pequena do que pegar o carro e sair, futuramente quero colocar as meninas em algumas praticas extracurriculares e desejo eu mesma tomar contam sem depender exclusivamente do marido para isso.

-Ter uma flexibilidade melhor no trabalho - esse é o mais difícil de alcançar estou estudando ainda como poderá ser desenvolvido - adquirir uma cartela de clientes próprios? Trabalhar free lance? Ter um sistema de trabalho home office? Minha maior necessidade é poder ajudar em imprevistos em casa, atualmente sempre que as meninas precisam de um responsável fica muito difícil eu ajudar. Pode ser que eu não alcance isso por agora ( como a proposta do texto de hoje diz são coisas para longo prazo) entretanto quero poder estar disponível para ajudar quando elas precisarem de mim, ou até mesmo algum parente ou amigo sem ficar com medo constantemente de um desconto extra na folha de pagamento

Sim tudo está um pouco voltado na estabilidade e no conforto, mas não é isso que todos procuramos? Quero sim desafios e lecionar será um deles, mas acima de tudo é ver que trabalhei para alcançar algo e cheguei onde queria, não fica a sensação ter ser em vão todo o esforço ou apenas a sobrevivência incoerente do ser.

Dentro das coisas que eu acredito, fica incabível apenas sobreviver, sem busca um objetivo de vida ou apenas dizer deixa a vida me levar, pode caber para algumas pessoas, mas não pra mim.

quarta-feira, 29 de junho de 2016

Minha historia com os estudos ou seria meu curriculo e o que eu já estudei na vida?

Estava pensando sobre voltar a estudar, já fazem três anos desde que deixei as salas de aula. Sempre tenho ânsia por estudar, talvez seja um pouco culpa dos meus pais que sempre falavam que o estudo, a inteligencia, o conhecimento era a única arma que as pessoas menos favorecidas financeiramente tinham a favor de si mesmas e isso creio que enraizou em mim.

Como todo adolescente eu desejava que a escola acabasse logo, não era porque eu não gostava de estudar e sim porque muito em breve eu poderia me dedicar aos estudos daquilo que realmente eu gostava.

Então assim que a faculdade acabou eu não tinha emprego ainda, porém já estava matriculada no meu segundo curso técnico ( o primeiro foi de turismo, saí formada nele antes mesmo de terminar o ensino médio), o curso de contabilidade foi curto, ele era apenas de um ano e em seis meses cursando eu já estava estagiando remuneradamente na área (sim era pouco, bem uma ajuda de custo mesmo). Contabilidade não foi escolhido aleatoriamente, passava dias procurando emprego que fosse voltado a minha área ( Administração hoteleira) e não achava, fazia poucas entrevistas e a maioria preferiam pessoas sem conhecimento, algo bem amador mesmo na nossa região ( as grandes redes hoteleiras ainda não estavam instaladas aqui e muitos hotéis tinha a mão de obra gratuita dos estágios obrigatórios não remunerados da região), percebi o alto índice de vagas na área contábil e foi assim que entre os cursos gratuitos oferecidos na rede publica da

minha cidade escolhi o que viria a ser a minha carreira.

Demorei quase dez anos para aceitar a contabilidade como minha carreira - fato - sempre falei para as outras pessoas e para mim mesma que era algo provisório, apenas por questões financeiras até eu descobrir um bom emprego (vide bons salários) e descobrir o que eu quero da vida ( pergunta se algum dia eu fui atrás do que eu queria, ou melhor de conhecer o que eu queria?)

Terminei o curso de contabilidade efetivada no meu estágio e já corri para o curso de magistério ( uma utopia e uma benção na minha vida, porque apesar de todos os perrengues que passei para concluir o curso, pensando muito em desistir, magistério trouxe tanto conhecimento e agregou tanto na minha vida que eu não sei como eu seria sem esse curso- sério, talvez um dia eu escreva só sobre ele)

Foram dois anos de curso e quando terminei resolvi dar um tempo de estudar, queria me casar e sabia que o tempo para me programar e fazer as coisas seria apertado se meu tempo estivesse comprometido com muita coisa ao mesmo tempo ( e também confesso que não tinham mais cursos gratuitos alternativos que me agradassem então eu teria que desembolsar qualquer quantia para isso e tinha que escolher casava ou comprava uma bicicleta... digo ou estudava)

Meu casamento foi marcado em fevereiro, em maio ou junho começamos os preparativos e em outubro nos casamos, numa cerimonia simples toda no estilo faça você mesmo e diga se de passagem linda.

Percorri nesse processo um ano e meio sem estudar, entre preparativos do casamento e nova vida de casada, porém logo fiquei achando que desperdiçava meu tempo sem  estudar, pensava em faze a faculdade de direito ( vivo entre leis rs) só que o custo é muito alto e não queria (e nem podia) dispor de tanto assim, minhas prioridades eram trocar de carro e comprar um apartamento para a nossa família.

A escolha acabou sendo um curso de línguas e Optei por inglês e foram um ano emeio nas duas aulas semanais , no começo tinha bastante adulto e o curso acabou com apenas dois ou três e a maioria era adolescente. Era muito bom, a melhor parte desse curso (alem do aprendizado) foi ter contato com outras pessoas no meu trabalho (quer era composto por 4 funcionários - incluindo eu- não havia conversa de qualquer tipo e em casa muitas vezes eu ficava sozinha pelo ritmo de trabalho do marido então era muito bom ter outras pessoas para conversar, expressar opinião e saber o que acontecia no mundo pela visão dessas pessoas). 

Engravidei no final do curso e terminei todos os módulos principais, faltava apenas o curso de proficiência para a certificação, não fiz pois não queria parar no meio e pensei logo retorno, mas levei uma bela rasteira, com um bebê pequeno e casa eu não tinha vontade nenhuma em voltar a estudar, eu queria apenas chegar do trabalho e agarrar minha pequena e encher de beijos, abraços e todos os cuidados possíveis que uma mãe quer dar ao seu bebê

Agora se passaram três anos que eu estou sem estudar e voltei recentemente a trabalhar e a vontade voltou com todas as forças, quase me matriculei nessa semana em um curso (na verdade eram três cursos diferentes) então percebi que estava sem foco e com muita sede ao pote e resolvi me centrar, organizar e aos poucos voltar assim que estabelecesse uma nova rotina em casa.

O que eu desejo fazer:

- Agora que decidi que contabilidade é a minha carreira, vou fazer uma graduação nesse ramo, vou aproveitar a faculdade de adm e eliminar algumas matérias. Já decidi que vai ser on line, pois não quero passar todos os dias a noite longe das meninas , sei que vai demandar muito esforço porém é melhor do que simplesmente não estar com elas;

-Decidi que farei pós graduação também, encontrei uma com um valor muito acessível na minha cidade e é on line e não sei o quanto ela pode me ajudar em relação a currículo na minha região, porém estou pensando alto agora e não aceito menos em relação ao meu futuro .

- Ainda não estudarei em 2016 - pelo menos não a faculdade - vou usar esse tempo para guarda dinheiro e me preparar para a volta as aulas, estabelecendo uma rotina em casa e financeira para receber o curso sem estresse desnecessário

- Voltarei a estudar línguas, vou buscar a minha proficiência em inglês e agora estou com vontade de estudar alemão (muita curiosidade sobre a língua) e francês ( desejo muito conhecer o pais um dia e desejo entender o que se passa ao me redor quando eu visitar o pais)

Estou sonhando alto e vou me organizar para realizar cada etapa dos meus sonhos, preciso ter um bom equipamento para as aulas ( um novo note) e agora será meu tempo de pensar e organizar meus objetivos e a minha carreira.

E qual a trajetória de estudos de vocês?

quarta-feira, 22 de junho de 2016

Reflexoes de uma auto didata I



Hoje resolvi escrever um pouco sobre como estou me organizando para estudar em casa, existem vários blogs de concurseiros por aí e valem muito a leitura de experiencia e de como funciona esse processo todo para cada tipo de pessoa.

Nessas horas ( de ser autodidata) a maior dificuldade é escolher o que estudar, o material, a periodicidade , o fluxo de informações sobre o assunto, checar as fontes.

Faz diferença nessas horas gostar de ler, escrever e até criar uma biblioteca como Hobbies do assunto (física ou digital), cheguei a conclusão que estudar à parte determinados assuntos me dariam muito prazer e como já disse anteriormente, estudar faz parte de mim, praticamente um hobbie

Por exemplo - amo psicologia- é um curso que no meu tempo áureos dos meus 18 anos me arrependo por não ter escolhido como faculdade, amei estudar a matéria inserida nas minhas grades curriculares e quando fiz magistério e tipo mais aprofundamento sobre o assunto sabia que era a paixão da minha vida. Não significa que talvez eu não possa fazer essa graduação por hobbie, mas decidi ler mais e me aprofundar sobre o assunto e investir financeiramente me algo que já faz parte da minha carreira

Para fazer isso, eu seleciono alguns temas que tenho interesse em estudar atualmente e foco neles. Algumas coisas que eu gosto de estudar : inglês,alemão, francês,(Esses dois últimos estou iniciando) empreendedorismo, gtd,Desenvolvimento infantil (apesar de não exercer a profissão, tomei gosto pelo magistério e continuo lendo muito sobre o assunto) 

Uma boa maneira de descobrir o que estudar para manter uma cadeia lógica de estudos é procurar por exemplo grades curriculares - muitas faculdades disponibilizam - Com isso você consegue mais ou menos nortear o que procurar de material (lembrando que aqui o desejo é o conhecimento sobre o assunto e não se tornar profissional na área)

Sobre meu local de estudos - bom eu não tenho um espaço exclusivo meu para estudar eu utilizo a mesa da sala ou a antiga mesa do computador, mas dependo do assunto, faço a leitura de um livro especifico por exemplo no sofá da sala junto com família mesmo, quando o marido deseja assistir algo que eu não sou muito chegada, vale qualquer alternativa, a mesa da cozinha também. Aqui a principal dica é ter todo o material junto que preciso utilizar naquele momento e também vale ter o local que irá utilizar já preparado, por exemplo se a mesa do computador está muito bagunçada eu não perco meu tempo arrumando, pulo direto com meu material para a mesa de jantar, isso me economiza tempo e faz com que eu não desista de cumpri aquele ciclo de estudo por cansaço, desmotivação ou preguiça.

Aqui acho que a parte que mais conta para ajudar a acontecer é ter o material de estudo e de apoio prontos, de fácil acesso e fácil de manipular. Tiro um dia só para reunir o material de estudo daquela semana/ciclo coloco em pastas com divisórias e vou organizando também nas pastas e nos planner de estudos, assim eu consigo ter o controle do que eu estou estudando, o material e em qual parte da matéria estou, assim quando eu retorno para aquele assunto sei onde estou e o que preciso fazer para retornar de onde parei.

Esquematizar os conteúdos também é uma forma muito pratica de manter o controle e tem muitos sites e concurseiros que trabalham esquematizando editais então pode ser uma forma interessante para começar a organizar os estudos se não sabe nem por onde começar

É sempre bom manter um certo ritmo de estudo, ler apenas algumas linhas sobre um artigo cientifico ou de um livro não irá garantir que você absorva as informações e pode desmotivar e ter a sensação de não estar saindo do lugar.

Fazer algumas anotações, resumos, ler periódicos sobre o assunto e até vale (dependendo do assunto que está estudando) ver filmes mais densos - você pode destrincha-los e analisa los profundamente ( no caso da psicologia) ou aprofundar o idioma caso esse seja o foco. Também faz parte definir qual é o seu objetivo com cada conteúdo, no meu caos inglês - eu pretendo ser fluente, capaz de compreender a escrita e a oralidade da língua e meu certificado de proficiência . Com francês e alemão  - são dois países que pretendo visitar e desejo compreender algumas frases, pedir direções, explicações e não me sentir completamente perdida nos lugares e com francês ainda desejo compreender melhor os filmes que assisto e as musicas que ouço (adoro a sonoridade de algumas musicas francesas e gostaria de ser capaz de compreender o que ouço) e também por ter estudado um pouco de gastronomia, muitos termo técnicos possuem sua origem na língua francesa e quero saber mais nesse ramo .Leve sempre algum material de estudo com você, seja onde for. Nunca sabemos quando vai aparecer um tempinho e ficar esperando sem fazer nada e esse tempo pode ser para colocar a leitura em dia de um resumo ou de um periódico por exemplo

A viagem não é algo de data marcada então possuo tempo para aprender e posso assim estabelecer um ritmo mais calmo para o estudo, em compensação o inglês é algo que desejo com mais afinco obter o conhecimento se tornando prioridade, Entretanto nesse esquema posso estar sempre revezando de língua não caindo no tédio ou cansaço.

Tem coisas que não adianta ter pressa e adquirir conhecimento está entre elas, é algo que se constroem aos poucos e não se pode desanimar e também precisa estar sempre revendo e praticando - o que o cérebro não usa ele esquece.

segunda-feira, 20 de junho de 2016



O quanto somos severos e cruéis no julgamento com nos mesmos?

Sempre falamos para os nossos filhos o quanto eles são especiais, únicos e importantes, crescemos e nos deparamos com o comum e com a "igualdade" - todos queremos ser feliz e buscamos o nosso lugar ao sol

E esse comum choca, porque eu mereço me dar bem em algo que se eu sou igual a pessoa do meu lado, porque eu me destacaria? 

Porque eu sou comum. Acordo cinco da manhã todos os dias, pego ônibus, ando à pé para ir ao trabalho o dia todo de segunda a sexta, sinto cansaço, sinto angústia, sinto raiva, sinto medo, tenho dificuldades, tenho preguiça, me descuido, cometo erros…Sei muito bem quando eu estou no caminho errado o que me leva a uma grande sensação de culpa, desconto minha angustia na comida, troco emoções por doces, sei de tudo isso e pesa por saber o errado.


Eu sei que às vezes me falta gentileza, às vezes não consigo conter os meus 
pensamentos negativos, muitas vezes eu olho no espelho e não gosto do que vejo, penso em x e y e vejo que não é o que eu posso mudar com alimentação e exercício que me desagrada, na lista também entram altura cor natural de pele, de cabelo, texturas...Tenho TPM, choro descontroladamente, durmo fora de hora e sei que é errado isso.

Eu sou comum, sou humana,sou mulher, sou mãe, vivo numa sociedade machista, tento criar minhas meninas da melhor maneira possível sendo fortes... mas e eu sou forte? Qual é meu papel na sociedade? O que eu posso fazer para mudar a sociedade na qual o sistema não funciona a favor do ser humano e sim contra ele? Agora me policio para não reclamar tanto, mas quantas vezes com sono, eu desejei em vez de estar no trabalho queria era estar em casa dormindo e me pego praguejando?

Aí vem o outro lado  oque descrevi acima é algo diário? Algumas coisas sim, mas estou mudando a minha forma de pensar, tenho trabalhado meus medos e anseios e sabe aquela frase :"se está com medo,vai com medo mesmo" Então, antes eu não ia, não falava com outras pessoas por medo e agora eu tenho buscado vencer esses e outros bloqueios.

Estou fazendo algo para tornar o mundo melhor, pelo menos o mundo daquelas pessoas que vão de encontro com o meu mundo, incentivo positivamente as pessoas que estão comigo, permito que elas transmitam o que desejam (mesmo não sendo a mesma ideologia que a minha). Sei que sou frágil mas sei ser incrivelmente forte quando se faz necessário.

Sofro de insonia porque sofro de ansiedade, deixo problemas que estão lá na frente me consumir até  a data final deles, mesmo quando não há nada que eu possa fazer a não ser esperar e muitas vezes o meu receio de lidar com o problema e adiar com o medo do resultado faz postergar um problema que antes poderia ser facilmente resolvido até com algumas palavras.


Estou falando tudo isso porque quero que você leve essa reflexão para dentro de você. O Quanto nos tratamos com tanta severidade assim? Cada um de nós temos particularidades que nos fazem único perante a natureza e nos conhecer, conhecer o que nos afinge e todos os defeitos que possuímos é a unica maneira para progredir e descobrir um caminho que nos faça feliz e nos agrade, é preciso acima de tudo compreender e aceitar que amor próprio, carinho e se agradar acima de tudo não é egoismo.

Somente quando estamos bem e aceitamos o amor que temos por nós, podemos nos doar e amar o outro com carinho e respeito. Como amar o outro e cuidar se não sabemos fazer isso por nós mesmos.São lições difíceis de serem aprendidas na maioria porque parece que vai um pouco contra daquilo que nós aprendemos ao longo da vida.


"Estamos numa grande jornada e só depende de nós saborear e buscar a grandiosidade dentro de nós ou apenas aceitar tudo o que vem sem nem ao menos descobrir a sua fonte"

sexta-feira, 17 de junho de 2016

Especial red lips day , ou como gosto de chamar.. não tira o batom vermelho ou solta esse cabelo rs

i Todo mundo

Hoje o post é muito especial, faz parte da blogagem coletiva do blog da Mulher Vitrola, Sobre o Red lips Day criado pela própria Renata Vitrola. O tema deste ano da blogagem é sobre : “A beleza de fugir dos padrões e ser feliz com suas escolhas” e a proposta é contar um pouco sobre a minha história beleza, preconceitos, liberdade e experiências.

Pensei muito em como escrever sobre isso, justo eu, cheia de medos e inseguranças como falaria da beleza, justo eu que por anos não me achei bela e só recentemente me descobri na minha beleza? Entao resolvi justamente conta a minha historia, o meu emponderamento e como aceitei a minha beleza sendo minha.

De uma criança normal, extrovertida e livre, virei uma adolescente insegura, gordinha e cheia de traumas. Não era fácil aguentar o bullyng diário na escola e como "concordava" com o que os chacotas diziam, não tinha forças para me libertar dessa situação.

Meus cabelos viviam presos em coque, mas não era porque eu gostava, era porque eu não sabia cuidar dos cabelos reclamava de ter muitos cabelos, do volume atrapalhar e dos cachos tao lindos que eu nao sabia lidar, meus cabelos viviam presos, assim como eu e a minha beleza que eu nao sabia que eu tinha.

Me escondia atrás de um colete cinza, que era do meu pai e terminava na altura dos joelhos, era meu escudo quando eu não estava protegida pelo uniforme escolar, que apesar de ser igual para todos, ainda sim sempre tinha aquele que conseguia se destacar naquela blusa cinza e na bermuda azul.

Hoje vejo que esse uniforme - coque e colete cinza - era a minha proteção, uma tentativa de me esconder da sociedade e me passar por invisível ( agora entendo porque passei tanto tempo evitando a cor cinza, não era porque eu não gostava, era porque dentro de mim remetia a esses sentimentos da adolescência que eu tinha deixado para trás)

Não foi uma época fácil! Não sabia pedir ajuda, minha mãe conversava muito comigo, sobre me cuidar e me valorizar, mas a verdade é que eu não sabia como fazer e hoje enxergo o quanto medo eu tinha de me mostrar. Não tínhamos muito dinheiro naquela época, usava muitas roupas do meu pai emprestadas, elas me escondiam...

Um pouco de culpa é da sociedade que vivemos, nunca me identifiquei com as mulheres que apareciam nas novelas, eram poucas morenas, cacheadas, fortes e emponderadas.Nada tinha a ver com as princesas loiras da disney ou as frágeis mocinhas, sendo grande, estabanada, cacheada e fora daqueles padrões que tanto divulgavam como lindas. Talvez a minha historia preferida seja da Bela e a Fera, ela era morena e diferente, lia livros (como eu) não buscava um Gaston qualquer na vida e presava a sua liberdade acima de tudo.

Descobri os filmes de vampiros e suas mulheres fortes ( nem me venha com filminho onde a mulher só serve para ser "devorada" ok.) Mulheres de cabelos soltos, de preto e de vermelho, descobri o rock e suas cantoras, com a voz predominante, enchendo estádios e vi que existia espaço para as mulheres como eu.

Demorei para me libertar, mas quando descobri a força em mim foi lindo!


Descobri nos meus cachos e volumes o poder selvagem feminino e toda a gloria que eles tem ( e olha que hoje tenho um pouco menos da metade dos cabelos que eu tinha naquela época, quantas chuquinhas arrebentei tentando prender meus cabelos no coque, era um sinal que eles desejavam liberdade e eu não ouvia). Descobri no vermelho vivo dos lábios, o sangue que corre nas minhas veias, a cor da vida, da continuidade, da liberdade"

A verdade é essa a sociedade prende a mulher do seus cachos e do seu colorido com medo da força selvagem que possuímos, nos dizem que é errado ou feio porque se nos libertamos, chamamos a atenção pela força que transmitimos.

Hoje sou mais eu, meus cachos selvagens mostrando o meu poder feminino, sou regida pelo sol, mas também sou regida pela lua. Descobri a força do mar em mim, meus cabelos são as ondas do mar, forte, batendo nas pedras, mostrando a força e o encanto que só as ondas do mar possuem.

Hoje se uso coque é porque quero! hoje se uso moletom é porque quero! Hoje se uso cinza é porque quero! Nada mais de me esconder, hoje meus kilos a mais são meus e não porque levei a comer para esconder meus sentimentos, hoje seu mulher, forte, selvagem e emponderada. Hoje eu sou a mulher que eu quero que as minhas filhas vejam por aí!

quarta-feira, 15 de junho de 2016

5 hábitos estranhos que eu estou tentando mudar

//oi todo mundo

Já que o blog é uma caixinha de surpresas mesmo, resolvi contar 5 hábitos estranhos que estou tentando mudar :)

1) roer unha - Não é algo que eu faço sempre, mas infelizmente é um hábito ruim que eu tenho e quando tem um fiapo de unha que está fora de lugar, passo a roer todas as unhas por um tempo até eu perceber que estou praticando esse ato horrendo e me forço a parar.

2) Não gosto de comprar roupas ou sapatos e sempre acabo comprando mais um livro ou post it ou qualquer outro item de papelaria do que algo do vestuário que eu esteja precisando - aqui eu entendo o porque, é muito frustrante gostar de uma peça e ela não servir então prefiro nem tentar comprar - o problema é que estou sempre precisando de roupas ou de sapatos pois eles acabam e eu nunca vou repondo...livros em compensação. Bom é melhor nem comentar ...

3)Barulhos altos me desconcertam - odeio absurdamente da forma mais redundante possível barulho de uma furadeira elétrica ( ou quase de uma obra inteira)  - fico irritada, perco até um pouco o senso de direção e fico de sobre salto (assustada mesmo) me chateada porque soa muito infantil ficar irritada assim, mas é algo incontrolável.

4)Tenho insonia - parte dela vem do meu acumulo de ansiedade ( se é que isso existe) - estou tentando controlar com rituais na hora de dormir, manter o mesmo clima, o mesmo horário, porém vivo "quebrando" a regra e precisando recomeçar do zero.

5) Tenho muitos livros lidos pela metade e abandono, depois quando vou retornar a leitura preciso começar do zero pois não lembro de nada!

E ai algum hábito parecido?

sexta-feira, 10 de junho de 2016

Uma compra pode ter muitos significados.




Você já reparou que muito do que compramos vem carregado de significado, as vezes ocultos em tantas mensagens que recebemos através de propagandas, as vezes de memorias perdidas (já comprou algo para comer porque queria sentir aquele gostinho de infância e ficou espantado o quanto o sabor era horrível?) ou até de promessas que fazemos de quando a situação melhorar , ou o dinheiro render, ou para provar um status.

Muitas compras tem mais significados do que prover as necessidades nossas, como parei com o 
projeto de não comprar e com isso não terá mais esse diário, resolvi que vou escrever sobre as minhas compras com significado.

E por falar isso hoje já teve uma sabia.

Um belo pacote de amendoim, queria apenas me abstrair do momento que eu estava me encontrando, não estava com fome então na minha mente fiz errado em comprar algo para comer, mas estava precisando me retirar do ambiente de escritório naquele momento.

Então comprei o amendoim, abri meu livro e me deixei sentir apenas numa cadeira, saboreando  meu amendoim salgado com mel e me vi vivendo nas páginas daquele livro por 20 minutos.

Pode não ter sido muito, talvez sem o pacote de amendoim teria tido o mesmo efeito, mas eu realmente precisava me contextualizar, me colocar dentro de um momento diferente para desligar a mente . Sabe o chá na hora de dormir, ele até não pode ter o efeito de te dar  sono, mas você se colocou naquele momento : " vou tomar meu chá para relaxar, desligar da mente e poder dormir tranquilo" digo isso porque meu marido usa o café, ele toma café antes de ir dormir e dorme profundamente, mas ele usa aquele momento como ferramente.

Assim funciona as compras, possuir algo, os pequenos rituais, tudo o que fazemos possui um significado. embora muitas vezes não percebemos.

Semana que vem vou falar do meu novo mouse e posso adiantar, a sensação de sair da loja foi

quando se é criança e voce sai da loja de brinquedos com um pacote novo!


domingo, 5 de junho de 2016

Cronicas: Segundas trashs

Segundas Trashs

É impressionante o quanto as minhas segunda são trashs, não tenho mal humor nenhum de ir ao trabalho, mas os sono me perturba o dia inteiro, vivo numa impressionante gangorra de expectativas que chegue logo o almoço para comer (morro de fome), desejo ardentemente um doce a quase qualquer custo (já experimentei coisas bem bizarras, sem graça e nada saborosas na busca de saciar esse desejo insano por doce) e a hora de ir para casa para dormir.

Dormir... esse sono me mata, me deixa mal humorada e me faz pensar o quanto meus planejamentos furam por causa desse sono, segunda à noite não sou produtiva, apenas faço a manutençao do que é extremamente necessário para a familia e encerro o expediente cedo.

É na segunda que preciso ser forte, é na segunda que eu preciso orar mais, é na segunda que me pego em todos os meus objetivos , é na segunda que eu entoo mantras para me manter focada e não perder o equilibrio e me desembeste a chorar de cansaço. Não tem energético ou cafeína que me deixe mais animada, segunda não é um dia de inicios de projetos, é o meu dia de reclusão!

Já deixei muitas lágrimas cairem achando que era desmotivação, que tinha perdido meu foco e o meu proposito, me achava "quebrada" por precisar me lembrar a cada minuto o que era que eu estava fazendo ali... Até que eu compreendi, era apenas um jeito meu e mais nada, passei muito tempo discutindo comigo mesma até entender que eu preciso dormir mais, que as segundas eu não funciono por causa da insonia de domingo (desde sempre - resquicios da ansiedade nao controlada por completo), é um dia de ter calmo comigo, de beber muita agua, de não tomar atitudes drasticas demais.

É um dia que a hora não passo, que meus ouvidos ouvem tudo, até que não deveria ouvir, a concentração cai e só penso em me aninhar com minhas pequenas.


É  dia de deitar cedo, de ritualizar meu boa noite, de ler uma pagina de um doce livro. É preciso aprender a se aceitar e abraçar quem eu sou com amor e o resto...bom o que não é prioridade, fica pra terça.

E por falar nisso eu preciso de um doce.
  



sábado, 4 de junho de 2016

Reflexão da semana


Pois bem, essa semana aconteceram fatos curiosos comigo, alguns bem chatos, porém todos me levaram a reflexão e o amadurecimento .

No passado, os fatos que ocorreram, só me deixariam mais triste, pesada e eu não buscaria o aprendizado neles e para meu espanto isso não ocorreu.

Claro que a tristeza sim, entretanto eu busquei refletir sobre os acontecimentos, porque eles ocorreram, ser era recorrentes e principalmente em quais passagens da minha vida isso já tinha acontecido.

Assumir a culpa de forma consciente foi meu primeiro passo - sim a culpa é minha, não da pedra que estava fora do lugar,mas minha que não me foquei no caminho e me desviei da pedra. Se eu não estava focada, porque ? Onde estava a minha visão? Foi me fazendo as perguntas até chegar na conclusão mais pura que consegui dos fatos, como se estivesse assistindo de fora o que aconteceu e assim apurar, uma verdadeira investigação.

Quando cheguei a conclusão mais fria da situação pude compreender não só aquele erro, mas muitos outros na minha vida. O passado não posso mudar, mas posso prevenir que determinadas situações não voltem a acontecer.

Foi um exercício muito proveitoso, porque percebi que tudo o que tenho estudando atualmente está fazendo efeito

beijos e até mais

sexta-feira, 3 de junho de 2016

Desafio ficar sem comprar: sTAtus : abandonado

Sim abandonei o projeto, nem consegui passar por aqui antes para explicar as coisas que aconteceram nesse desenrolar do processo e para ser sincera me enrolei em tanta coisa e me perdi num limbo de cansaço e desanimo para algumas coisas em geral (além blog). Tudo são fases e aprender a reconhecer em qual delas estamos nos ajuda a não deixar a peteca cair - percebi que para continuar fazer os pratos rodarem eu precisava me poupar um pouco em algumas coisas e focar a pouca energia nas prioridades da vida.

Hoje estou num processo de me estudar, buscar me conhecer melhor e só depois disso percebi que por isso precisei abandonar o projeto, estou no processo de reconhecer minha nova identidade e as roupas fazem parte desse processo. Também depois que passei a trabalhar, constatei oficialmente que não tinha roupas apropriadas para isso e como uso  roupas de tamanhos grandes, não é fácil (ou barato) alimentar esse tipo de guarda roupa.

Comprei algumas roupas para sair, foram três peças para esse fim - duas blusas do star wars ( fã ok ok ) e um camisetao preto em uma super promoção ,estava a muito tempo querendo comprar um desses, porém o preço não me atraia e sempre pensava no projeto e não comprava.

Já falei isso aqui antes e porque não falar novamente, os desafios, projetos e tudo mais que propomos fazer para as nossas vidas devem possuir um significado positivo, não acredito em proporcionar um sofrimento em algo que eu mesma decidir fazer pra mim.

Por isso aboli sem dó da minha mente o projeto, as duas primeiras compras fiz com uma culpa imensa de estar consumindo, cheguei a deixar a peça três vezes e voltava, pegava novamente e deixava e pensava estou traindo algo e deixava novamente, mas a ideia de não levar estava me incomodando muito mais do que levar.

Passei muito tempo sem cuidar de mim, economizando cada centavo que eu podia porque estava fazendo o enxoval das bebes e logo em seguida eu estava com uma ideia de parar trabalhar para cuidar das minhas pequenas e eu queria ter um dinheiro guardado para emergências e necessidades e foi o que eu fiz ao logo desses dois anos e meio - guardei dinheiro e após sair do trabalho usei com parcimônia por quase dois anos para suprir as necessidades da casa e das meninas quando precisava, com isso fiquei de lado, era o momento e não me lamento nem um pouco por isso porque foi uma escolha que eu fiz, aproveitar o máximo que eu  podia a oportunidade de ficar com as minhas bebês : comprar não estava nas prioridades.

Também reconheço que estou nessa nova fase, a de comprar e gastar com super fulos ( estou tomando cuidado com o volume desses gastos e creio eu que até essa fase já passou também) gastei com bobeirinhas para lanches, algumas novas canetas (amo itens de papelaria) e com alguns livros, fazia muito tempo que eu não comprava tantos livros assim ( olha, na verdade nunca comprei tantos livros assim em pouco espaço de tempo, sempre comprava um que entrava na lista de se eu não ter tenho um troço!) havia parado de comprar apenas por gostar de algo uns bons anos - primeiro juntando dinheiro para o casamento, depois para a casa nova e sua reforma, logo em seguida para das bebês e sinto que na verdade desde que comecei a trabalhar realmente pesado ( sem ser em bicos e afins ) estava apenas pagando as contas de custo de vida e guardado dinheiro para um grande projeto ( fora a época que todo meu salario era apenas para pagar a faculdade e seu financiamento).

Ainda vou guardar dinheiro - sempre fiz isso - faz parte da minha natureza poupar, mas agora vou cuidar um pouco mais de mim, ler meus livros que gosto tanto, cuidar do meu cabelos, ter bons sapatos (que não machuquem meus pés), roupas nas quais eu me sinta bonita. Sei que não preciso de muito, já aprendi com o que eu preciso, mas agora quero curtir sem tanta pressão.

É preciso remodelar as vezes o que conhecemos como mundo, expandir os horizontes e relaxar 

um pouco. Essa é a fase que eu quero viver agora.