quarta-feira, 29 de junho de 2016

Minha historia com os estudos ou seria meu curriculo e o que eu já estudei na vida?

Estava pensando sobre voltar a estudar, já fazem três anos desde que deixei as salas de aula. Sempre tenho ânsia por estudar, talvez seja um pouco culpa dos meus pais que sempre falavam que o estudo, a inteligencia, o conhecimento era a única arma que as pessoas menos favorecidas financeiramente tinham a favor de si mesmas e isso creio que enraizou em mim.

Como todo adolescente eu desejava que a escola acabasse logo, não era porque eu não gostava de estudar e sim porque muito em breve eu poderia me dedicar aos estudos daquilo que realmente eu gostava.

Então assim que a faculdade acabou eu não tinha emprego ainda, porém já estava matriculada no meu segundo curso técnico ( o primeiro foi de turismo, saí formada nele antes mesmo de terminar o ensino médio), o curso de contabilidade foi curto, ele era apenas de um ano e em seis meses cursando eu já estava estagiando remuneradamente na área (sim era pouco, bem uma ajuda de custo mesmo). Contabilidade não foi escolhido aleatoriamente, passava dias procurando emprego que fosse voltado a minha área ( Administração hoteleira) e não achava, fazia poucas entrevistas e a maioria preferiam pessoas sem conhecimento, algo bem amador mesmo na nossa região ( as grandes redes hoteleiras ainda não estavam instaladas aqui e muitos hotéis tinha a mão de obra gratuita dos estágios obrigatórios não remunerados da região), percebi o alto índice de vagas na área contábil e foi assim que entre os cursos gratuitos oferecidos na rede publica da

minha cidade escolhi o que viria a ser a minha carreira.

Demorei quase dez anos para aceitar a contabilidade como minha carreira - fato - sempre falei para as outras pessoas e para mim mesma que era algo provisório, apenas por questões financeiras até eu descobrir um bom emprego (vide bons salários) e descobrir o que eu quero da vida ( pergunta se algum dia eu fui atrás do que eu queria, ou melhor de conhecer o que eu queria?)

Terminei o curso de contabilidade efetivada no meu estágio e já corri para o curso de magistério ( uma utopia e uma benção na minha vida, porque apesar de todos os perrengues que passei para concluir o curso, pensando muito em desistir, magistério trouxe tanto conhecimento e agregou tanto na minha vida que eu não sei como eu seria sem esse curso- sério, talvez um dia eu escreva só sobre ele)

Foram dois anos de curso e quando terminei resolvi dar um tempo de estudar, queria me casar e sabia que o tempo para me programar e fazer as coisas seria apertado se meu tempo estivesse comprometido com muita coisa ao mesmo tempo ( e também confesso que não tinham mais cursos gratuitos alternativos que me agradassem então eu teria que desembolsar qualquer quantia para isso e tinha que escolher casava ou comprava uma bicicleta... digo ou estudava)

Meu casamento foi marcado em fevereiro, em maio ou junho começamos os preparativos e em outubro nos casamos, numa cerimonia simples toda no estilo faça você mesmo e diga se de passagem linda.

Percorri nesse processo um ano e meio sem estudar, entre preparativos do casamento e nova vida de casada, porém logo fiquei achando que desperdiçava meu tempo sem  estudar, pensava em faze a faculdade de direito ( vivo entre leis rs) só que o custo é muito alto e não queria (e nem podia) dispor de tanto assim, minhas prioridades eram trocar de carro e comprar um apartamento para a nossa família.

A escolha acabou sendo um curso de línguas e Optei por inglês e foram um ano emeio nas duas aulas semanais , no começo tinha bastante adulto e o curso acabou com apenas dois ou três e a maioria era adolescente. Era muito bom, a melhor parte desse curso (alem do aprendizado) foi ter contato com outras pessoas no meu trabalho (quer era composto por 4 funcionários - incluindo eu- não havia conversa de qualquer tipo e em casa muitas vezes eu ficava sozinha pelo ritmo de trabalho do marido então era muito bom ter outras pessoas para conversar, expressar opinião e saber o que acontecia no mundo pela visão dessas pessoas). 

Engravidei no final do curso e terminei todos os módulos principais, faltava apenas o curso de proficiência para a certificação, não fiz pois não queria parar no meio e pensei logo retorno, mas levei uma bela rasteira, com um bebê pequeno e casa eu não tinha vontade nenhuma em voltar a estudar, eu queria apenas chegar do trabalho e agarrar minha pequena e encher de beijos, abraços e todos os cuidados possíveis que uma mãe quer dar ao seu bebê

Agora se passaram três anos que eu estou sem estudar e voltei recentemente a trabalhar e a vontade voltou com todas as forças, quase me matriculei nessa semana em um curso (na verdade eram três cursos diferentes) então percebi que estava sem foco e com muita sede ao pote e resolvi me centrar, organizar e aos poucos voltar assim que estabelecesse uma nova rotina em casa.

O que eu desejo fazer:

- Agora que decidi que contabilidade é a minha carreira, vou fazer uma graduação nesse ramo, vou aproveitar a faculdade de adm e eliminar algumas matérias. Já decidi que vai ser on line, pois não quero passar todos os dias a noite longe das meninas , sei que vai demandar muito esforço porém é melhor do que simplesmente não estar com elas;

-Decidi que farei pós graduação também, encontrei uma com um valor muito acessível na minha cidade e é on line e não sei o quanto ela pode me ajudar em relação a currículo na minha região, porém estou pensando alto agora e não aceito menos em relação ao meu futuro .

- Ainda não estudarei em 2016 - pelo menos não a faculdade - vou usar esse tempo para guarda dinheiro e me preparar para a volta as aulas, estabelecendo uma rotina em casa e financeira para receber o curso sem estresse desnecessário

- Voltarei a estudar línguas, vou buscar a minha proficiência em inglês e agora estou com vontade de estudar alemão (muita curiosidade sobre a língua) e francês ( desejo muito conhecer o pais um dia e desejo entender o que se passa ao me redor quando eu visitar o pais)

Estou sonhando alto e vou me organizar para realizar cada etapa dos meus sonhos, preciso ter um bom equipamento para as aulas ( um novo note) e agora será meu tempo de pensar e organizar meus objetivos e a minha carreira.

E qual a trajetória de estudos de vocês?

quarta-feira, 22 de junho de 2016

Reflexoes de uma auto didata I



Hoje resolvi escrever um pouco sobre como estou me organizando para estudar em casa, existem vários blogs de concurseiros por aí e valem muito a leitura de experiencia e de como funciona esse processo todo para cada tipo de pessoa.

Nessas horas ( de ser autodidata) a maior dificuldade é escolher o que estudar, o material, a periodicidade , o fluxo de informações sobre o assunto, checar as fontes.

Faz diferença nessas horas gostar de ler, escrever e até criar uma biblioteca como Hobbies do assunto (física ou digital), cheguei a conclusão que estudar à parte determinados assuntos me dariam muito prazer e como já disse anteriormente, estudar faz parte de mim, praticamente um hobbie

Por exemplo - amo psicologia- é um curso que no meu tempo áureos dos meus 18 anos me arrependo por não ter escolhido como faculdade, amei estudar a matéria inserida nas minhas grades curriculares e quando fiz magistério e tipo mais aprofundamento sobre o assunto sabia que era a paixão da minha vida. Não significa que talvez eu não possa fazer essa graduação por hobbie, mas decidi ler mais e me aprofundar sobre o assunto e investir financeiramente me algo que já faz parte da minha carreira

Para fazer isso, eu seleciono alguns temas que tenho interesse em estudar atualmente e foco neles. Algumas coisas que eu gosto de estudar : inglês,alemão, francês,(Esses dois últimos estou iniciando) empreendedorismo, gtd,Desenvolvimento infantil (apesar de não exercer a profissão, tomei gosto pelo magistério e continuo lendo muito sobre o assunto) 

Uma boa maneira de descobrir o que estudar para manter uma cadeia lógica de estudos é procurar por exemplo grades curriculares - muitas faculdades disponibilizam - Com isso você consegue mais ou menos nortear o que procurar de material (lembrando que aqui o desejo é o conhecimento sobre o assunto e não se tornar profissional na área)

Sobre meu local de estudos - bom eu não tenho um espaço exclusivo meu para estudar eu utilizo a mesa da sala ou a antiga mesa do computador, mas dependo do assunto, faço a leitura de um livro especifico por exemplo no sofá da sala junto com família mesmo, quando o marido deseja assistir algo que eu não sou muito chegada, vale qualquer alternativa, a mesa da cozinha também. Aqui a principal dica é ter todo o material junto que preciso utilizar naquele momento e também vale ter o local que irá utilizar já preparado, por exemplo se a mesa do computador está muito bagunçada eu não perco meu tempo arrumando, pulo direto com meu material para a mesa de jantar, isso me economiza tempo e faz com que eu não desista de cumpri aquele ciclo de estudo por cansaço, desmotivação ou preguiça.

Aqui acho que a parte que mais conta para ajudar a acontecer é ter o material de estudo e de apoio prontos, de fácil acesso e fácil de manipular. Tiro um dia só para reunir o material de estudo daquela semana/ciclo coloco em pastas com divisórias e vou organizando também nas pastas e nos planner de estudos, assim eu consigo ter o controle do que eu estou estudando, o material e em qual parte da matéria estou, assim quando eu retorno para aquele assunto sei onde estou e o que preciso fazer para retornar de onde parei.

Esquematizar os conteúdos também é uma forma muito pratica de manter o controle e tem muitos sites e concurseiros que trabalham esquematizando editais então pode ser uma forma interessante para começar a organizar os estudos se não sabe nem por onde começar

É sempre bom manter um certo ritmo de estudo, ler apenas algumas linhas sobre um artigo cientifico ou de um livro não irá garantir que você absorva as informações e pode desmotivar e ter a sensação de não estar saindo do lugar.

Fazer algumas anotações, resumos, ler periódicos sobre o assunto e até vale (dependendo do assunto que está estudando) ver filmes mais densos - você pode destrincha-los e analisa los profundamente ( no caso da psicologia) ou aprofundar o idioma caso esse seja o foco. Também faz parte definir qual é o seu objetivo com cada conteúdo, no meu caos inglês - eu pretendo ser fluente, capaz de compreender a escrita e a oralidade da língua e meu certificado de proficiência . Com francês e alemão  - são dois países que pretendo visitar e desejo compreender algumas frases, pedir direções, explicações e não me sentir completamente perdida nos lugares e com francês ainda desejo compreender melhor os filmes que assisto e as musicas que ouço (adoro a sonoridade de algumas musicas francesas e gostaria de ser capaz de compreender o que ouço) e também por ter estudado um pouco de gastronomia, muitos termo técnicos possuem sua origem na língua francesa e quero saber mais nesse ramo .Leve sempre algum material de estudo com você, seja onde for. Nunca sabemos quando vai aparecer um tempinho e ficar esperando sem fazer nada e esse tempo pode ser para colocar a leitura em dia de um resumo ou de um periódico por exemplo

A viagem não é algo de data marcada então possuo tempo para aprender e posso assim estabelecer um ritmo mais calmo para o estudo, em compensação o inglês é algo que desejo com mais afinco obter o conhecimento se tornando prioridade, Entretanto nesse esquema posso estar sempre revezando de língua não caindo no tédio ou cansaço.

Tem coisas que não adianta ter pressa e adquirir conhecimento está entre elas, é algo que se constroem aos poucos e não se pode desanimar e também precisa estar sempre revendo e praticando - o que o cérebro não usa ele esquece.

segunda-feira, 20 de junho de 2016



O quanto somos severos e cruéis no julgamento com nos mesmos?

Sempre falamos para os nossos filhos o quanto eles são especiais, únicos e importantes, crescemos e nos deparamos com o comum e com a "igualdade" - todos queremos ser feliz e buscamos o nosso lugar ao sol

E esse comum choca, porque eu mereço me dar bem em algo que se eu sou igual a pessoa do meu lado, porque eu me destacaria? 

Porque eu sou comum. Acordo cinco da manhã todos os dias, pego ônibus, ando à pé para ir ao trabalho o dia todo de segunda a sexta, sinto cansaço, sinto angústia, sinto raiva, sinto medo, tenho dificuldades, tenho preguiça, me descuido, cometo erros…Sei muito bem quando eu estou no caminho errado o que me leva a uma grande sensação de culpa, desconto minha angustia na comida, troco emoções por doces, sei de tudo isso e pesa por saber o errado.


Eu sei que às vezes me falta gentileza, às vezes não consigo conter os meus 
pensamentos negativos, muitas vezes eu olho no espelho e não gosto do que vejo, penso em x e y e vejo que não é o que eu posso mudar com alimentação e exercício que me desagrada, na lista também entram altura cor natural de pele, de cabelo, texturas...Tenho TPM, choro descontroladamente, durmo fora de hora e sei que é errado isso.

Eu sou comum, sou humana,sou mulher, sou mãe, vivo numa sociedade machista, tento criar minhas meninas da melhor maneira possível sendo fortes... mas e eu sou forte? Qual é meu papel na sociedade? O que eu posso fazer para mudar a sociedade na qual o sistema não funciona a favor do ser humano e sim contra ele? Agora me policio para não reclamar tanto, mas quantas vezes com sono, eu desejei em vez de estar no trabalho queria era estar em casa dormindo e me pego praguejando?

Aí vem o outro lado  oque descrevi acima é algo diário? Algumas coisas sim, mas estou mudando a minha forma de pensar, tenho trabalhado meus medos e anseios e sabe aquela frase :"se está com medo,vai com medo mesmo" Então, antes eu não ia, não falava com outras pessoas por medo e agora eu tenho buscado vencer esses e outros bloqueios.

Estou fazendo algo para tornar o mundo melhor, pelo menos o mundo daquelas pessoas que vão de encontro com o meu mundo, incentivo positivamente as pessoas que estão comigo, permito que elas transmitam o que desejam (mesmo não sendo a mesma ideologia que a minha). Sei que sou frágil mas sei ser incrivelmente forte quando se faz necessário.

Sofro de insonia porque sofro de ansiedade, deixo problemas que estão lá na frente me consumir até  a data final deles, mesmo quando não há nada que eu possa fazer a não ser esperar e muitas vezes o meu receio de lidar com o problema e adiar com o medo do resultado faz postergar um problema que antes poderia ser facilmente resolvido até com algumas palavras.


Estou falando tudo isso porque quero que você leve essa reflexão para dentro de você. O Quanto nos tratamos com tanta severidade assim? Cada um de nós temos particularidades que nos fazem único perante a natureza e nos conhecer, conhecer o que nos afinge e todos os defeitos que possuímos é a unica maneira para progredir e descobrir um caminho que nos faça feliz e nos agrade, é preciso acima de tudo compreender e aceitar que amor próprio, carinho e se agradar acima de tudo não é egoismo.

Somente quando estamos bem e aceitamos o amor que temos por nós, podemos nos doar e amar o outro com carinho e respeito. Como amar o outro e cuidar se não sabemos fazer isso por nós mesmos.São lições difíceis de serem aprendidas na maioria porque parece que vai um pouco contra daquilo que nós aprendemos ao longo da vida.


"Estamos numa grande jornada e só depende de nós saborear e buscar a grandiosidade dentro de nós ou apenas aceitar tudo o que vem sem nem ao menos descobrir a sua fonte"

sexta-feira, 17 de junho de 2016

Especial red lips day , ou como gosto de chamar.. não tira o batom vermelho ou solta esse cabelo rs

i Todo mundo

Hoje o post é muito especial, faz parte da blogagem coletiva do blog da Mulher Vitrola, Sobre o Red lips Day criado pela própria Renata Vitrola. O tema deste ano da blogagem é sobre : “A beleza de fugir dos padrões e ser feliz com suas escolhas” e a proposta é contar um pouco sobre a minha história beleza, preconceitos, liberdade e experiências.

Pensei muito em como escrever sobre isso, justo eu, cheia de medos e inseguranças como falaria da beleza, justo eu que por anos não me achei bela e só recentemente me descobri na minha beleza? Entao resolvi justamente conta a minha historia, o meu emponderamento e como aceitei a minha beleza sendo minha.

De uma criança normal, extrovertida e livre, virei uma adolescente insegura, gordinha e cheia de traumas. Não era fácil aguentar o bullyng diário na escola e como "concordava" com o que os chacotas diziam, não tinha forças para me libertar dessa situação.

Meus cabelos viviam presos em coque, mas não era porque eu gostava, era porque eu não sabia cuidar dos cabelos reclamava de ter muitos cabelos, do volume atrapalhar e dos cachos tao lindos que eu nao sabia lidar, meus cabelos viviam presos, assim como eu e a minha beleza que eu nao sabia que eu tinha.

Me escondia atrás de um colete cinza, que era do meu pai e terminava na altura dos joelhos, era meu escudo quando eu não estava protegida pelo uniforme escolar, que apesar de ser igual para todos, ainda sim sempre tinha aquele que conseguia se destacar naquela blusa cinza e na bermuda azul.

Hoje vejo que esse uniforme - coque e colete cinza - era a minha proteção, uma tentativa de me esconder da sociedade e me passar por invisível ( agora entendo porque passei tanto tempo evitando a cor cinza, não era porque eu não gostava, era porque dentro de mim remetia a esses sentimentos da adolescência que eu tinha deixado para trás)

Não foi uma época fácil! Não sabia pedir ajuda, minha mãe conversava muito comigo, sobre me cuidar e me valorizar, mas a verdade é que eu não sabia como fazer e hoje enxergo o quanto medo eu tinha de me mostrar. Não tínhamos muito dinheiro naquela época, usava muitas roupas do meu pai emprestadas, elas me escondiam...

Um pouco de culpa é da sociedade que vivemos, nunca me identifiquei com as mulheres que apareciam nas novelas, eram poucas morenas, cacheadas, fortes e emponderadas.Nada tinha a ver com as princesas loiras da disney ou as frágeis mocinhas, sendo grande, estabanada, cacheada e fora daqueles padrões que tanto divulgavam como lindas. Talvez a minha historia preferida seja da Bela e a Fera, ela era morena e diferente, lia livros (como eu) não buscava um Gaston qualquer na vida e presava a sua liberdade acima de tudo.

Descobri os filmes de vampiros e suas mulheres fortes ( nem me venha com filminho onde a mulher só serve para ser "devorada" ok.) Mulheres de cabelos soltos, de preto e de vermelho, descobri o rock e suas cantoras, com a voz predominante, enchendo estádios e vi que existia espaço para as mulheres como eu.

Demorei para me libertar, mas quando descobri a força em mim foi lindo!


Descobri nos meus cachos e volumes o poder selvagem feminino e toda a gloria que eles tem ( e olha que hoje tenho um pouco menos da metade dos cabelos que eu tinha naquela época, quantas chuquinhas arrebentei tentando prender meus cabelos no coque, era um sinal que eles desejavam liberdade e eu não ouvia). Descobri no vermelho vivo dos lábios, o sangue que corre nas minhas veias, a cor da vida, da continuidade, da liberdade"

A verdade é essa a sociedade prende a mulher do seus cachos e do seu colorido com medo da força selvagem que possuímos, nos dizem que é errado ou feio porque se nos libertamos, chamamos a atenção pela força que transmitimos.

Hoje sou mais eu, meus cachos selvagens mostrando o meu poder feminino, sou regida pelo sol, mas também sou regida pela lua. Descobri a força do mar em mim, meus cabelos são as ondas do mar, forte, batendo nas pedras, mostrando a força e o encanto que só as ondas do mar possuem.

Hoje se uso coque é porque quero! hoje se uso moletom é porque quero! Hoje se uso cinza é porque quero! Nada mais de me esconder, hoje meus kilos a mais são meus e não porque levei a comer para esconder meus sentimentos, hoje seu mulher, forte, selvagem e emponderada. Hoje eu sou a mulher que eu quero que as minhas filhas vejam por aí!

quarta-feira, 15 de junho de 2016

5 hábitos estranhos que eu estou tentando mudar

//oi todo mundo

Já que o blog é uma caixinha de surpresas mesmo, resolvi contar 5 hábitos estranhos que estou tentando mudar :)

1) roer unha - Não é algo que eu faço sempre, mas infelizmente é um hábito ruim que eu tenho e quando tem um fiapo de unha que está fora de lugar, passo a roer todas as unhas por um tempo até eu perceber que estou praticando esse ato horrendo e me forço a parar.

2) Não gosto de comprar roupas ou sapatos e sempre acabo comprando mais um livro ou post it ou qualquer outro item de papelaria do que algo do vestuário que eu esteja precisando - aqui eu entendo o porque, é muito frustrante gostar de uma peça e ela não servir então prefiro nem tentar comprar - o problema é que estou sempre precisando de roupas ou de sapatos pois eles acabam e eu nunca vou repondo...livros em compensação. Bom é melhor nem comentar ...

3)Barulhos altos me desconcertam - odeio absurdamente da forma mais redundante possível barulho de uma furadeira elétrica ( ou quase de uma obra inteira)  - fico irritada, perco até um pouco o senso de direção e fico de sobre salto (assustada mesmo) me chateada porque soa muito infantil ficar irritada assim, mas é algo incontrolável.

4)Tenho insonia - parte dela vem do meu acumulo de ansiedade ( se é que isso existe) - estou tentando controlar com rituais na hora de dormir, manter o mesmo clima, o mesmo horário, porém vivo "quebrando" a regra e precisando recomeçar do zero.

5) Tenho muitos livros lidos pela metade e abandono, depois quando vou retornar a leitura preciso começar do zero pois não lembro de nada!

E ai algum hábito parecido?

sexta-feira, 10 de junho de 2016

Uma compra pode ter muitos significados.




Você já reparou que muito do que compramos vem carregado de significado, as vezes ocultos em tantas mensagens que recebemos através de propagandas, as vezes de memorias perdidas (já comprou algo para comer porque queria sentir aquele gostinho de infância e ficou espantado o quanto o sabor era horrível?) ou até de promessas que fazemos de quando a situação melhorar , ou o dinheiro render, ou para provar um status.

Muitas compras tem mais significados do que prover as necessidades nossas, como parei com o 
projeto de não comprar e com isso não terá mais esse diário, resolvi que vou escrever sobre as minhas compras com significado.

E por falar isso hoje já teve uma sabia.

Um belo pacote de amendoim, queria apenas me abstrair do momento que eu estava me encontrando, não estava com fome então na minha mente fiz errado em comprar algo para comer, mas estava precisando me retirar do ambiente de escritório naquele momento.

Então comprei o amendoim, abri meu livro e me deixei sentir apenas numa cadeira, saboreando  meu amendoim salgado com mel e me vi vivendo nas páginas daquele livro por 20 minutos.

Pode não ter sido muito, talvez sem o pacote de amendoim teria tido o mesmo efeito, mas eu realmente precisava me contextualizar, me colocar dentro de um momento diferente para desligar a mente . Sabe o chá na hora de dormir, ele até não pode ter o efeito de te dar  sono, mas você se colocou naquele momento : " vou tomar meu chá para relaxar, desligar da mente e poder dormir tranquilo" digo isso porque meu marido usa o café, ele toma café antes de ir dormir e dorme profundamente, mas ele usa aquele momento como ferramente.

Assim funciona as compras, possuir algo, os pequenos rituais, tudo o que fazemos possui um significado. embora muitas vezes não percebemos.

Semana que vem vou falar do meu novo mouse e posso adiantar, a sensação de sair da loja foi

quando se é criança e voce sai da loja de brinquedos com um pacote novo!


domingo, 5 de junho de 2016

Cronicas: Segundas trashs

Segundas Trashs

É impressionante o quanto as minhas segunda são trashs, não tenho mal humor nenhum de ir ao trabalho, mas os sono me perturba o dia inteiro, vivo numa impressionante gangorra de expectativas que chegue logo o almoço para comer (morro de fome), desejo ardentemente um doce a quase qualquer custo (já experimentei coisas bem bizarras, sem graça e nada saborosas na busca de saciar esse desejo insano por doce) e a hora de ir para casa para dormir.

Dormir... esse sono me mata, me deixa mal humorada e me faz pensar o quanto meus planejamentos furam por causa desse sono, segunda à noite não sou produtiva, apenas faço a manutençao do que é extremamente necessário para a familia e encerro o expediente cedo.

É na segunda que preciso ser forte, é na segunda que eu preciso orar mais, é na segunda que me pego em todos os meus objetivos , é na segunda que eu entoo mantras para me manter focada e não perder o equilibrio e me desembeste a chorar de cansaço. Não tem energético ou cafeína que me deixe mais animada, segunda não é um dia de inicios de projetos, é o meu dia de reclusão!

Já deixei muitas lágrimas cairem achando que era desmotivação, que tinha perdido meu foco e o meu proposito, me achava "quebrada" por precisar me lembrar a cada minuto o que era que eu estava fazendo ali... Até que eu compreendi, era apenas um jeito meu e mais nada, passei muito tempo discutindo comigo mesma até entender que eu preciso dormir mais, que as segundas eu não funciono por causa da insonia de domingo (desde sempre - resquicios da ansiedade nao controlada por completo), é um dia de ter calmo comigo, de beber muita agua, de não tomar atitudes drasticas demais.

É um dia que a hora não passo, que meus ouvidos ouvem tudo, até que não deveria ouvir, a concentração cai e só penso em me aninhar com minhas pequenas.


É  dia de deitar cedo, de ritualizar meu boa noite, de ler uma pagina de um doce livro. É preciso aprender a se aceitar e abraçar quem eu sou com amor e o resto...bom o que não é prioridade, fica pra terça.

E por falar nisso eu preciso de um doce.
  



sábado, 4 de junho de 2016

Reflexão da semana


Pois bem, essa semana aconteceram fatos curiosos comigo, alguns bem chatos, porém todos me levaram a reflexão e o amadurecimento .

No passado, os fatos que ocorreram, só me deixariam mais triste, pesada e eu não buscaria o aprendizado neles e para meu espanto isso não ocorreu.

Claro que a tristeza sim, entretanto eu busquei refletir sobre os acontecimentos, porque eles ocorreram, ser era recorrentes e principalmente em quais passagens da minha vida isso já tinha acontecido.

Assumir a culpa de forma consciente foi meu primeiro passo - sim a culpa é minha, não da pedra que estava fora do lugar,mas minha que não me foquei no caminho e me desviei da pedra. Se eu não estava focada, porque ? Onde estava a minha visão? Foi me fazendo as perguntas até chegar na conclusão mais pura que consegui dos fatos, como se estivesse assistindo de fora o que aconteceu e assim apurar, uma verdadeira investigação.

Quando cheguei a conclusão mais fria da situação pude compreender não só aquele erro, mas muitos outros na minha vida. O passado não posso mudar, mas posso prevenir que determinadas situações não voltem a acontecer.

Foi um exercício muito proveitoso, porque percebi que tudo o que tenho estudando atualmente está fazendo efeito

beijos e até mais

sexta-feira, 3 de junho de 2016

Desafio ficar sem comprar: sTAtus : abandonado

Sim abandonei o projeto, nem consegui passar por aqui antes para explicar as coisas que aconteceram nesse desenrolar do processo e para ser sincera me enrolei em tanta coisa e me perdi num limbo de cansaço e desanimo para algumas coisas em geral (além blog). Tudo são fases e aprender a reconhecer em qual delas estamos nos ajuda a não deixar a peteca cair - percebi que para continuar fazer os pratos rodarem eu precisava me poupar um pouco em algumas coisas e focar a pouca energia nas prioridades da vida.

Hoje estou num processo de me estudar, buscar me conhecer melhor e só depois disso percebi que por isso precisei abandonar o projeto, estou no processo de reconhecer minha nova identidade e as roupas fazem parte desse processo. Também depois que passei a trabalhar, constatei oficialmente que não tinha roupas apropriadas para isso e como uso  roupas de tamanhos grandes, não é fácil (ou barato) alimentar esse tipo de guarda roupa.

Comprei algumas roupas para sair, foram três peças para esse fim - duas blusas do star wars ( fã ok ok ) e um camisetao preto em uma super promoção ,estava a muito tempo querendo comprar um desses, porém o preço não me atraia e sempre pensava no projeto e não comprava.

Já falei isso aqui antes e porque não falar novamente, os desafios, projetos e tudo mais que propomos fazer para as nossas vidas devem possuir um significado positivo, não acredito em proporcionar um sofrimento em algo que eu mesma decidir fazer pra mim.

Por isso aboli sem dó da minha mente o projeto, as duas primeiras compras fiz com uma culpa imensa de estar consumindo, cheguei a deixar a peça três vezes e voltava, pegava novamente e deixava e pensava estou traindo algo e deixava novamente, mas a ideia de não levar estava me incomodando muito mais do que levar.

Passei muito tempo sem cuidar de mim, economizando cada centavo que eu podia porque estava fazendo o enxoval das bebes e logo em seguida eu estava com uma ideia de parar trabalhar para cuidar das minhas pequenas e eu queria ter um dinheiro guardado para emergências e necessidades e foi o que eu fiz ao logo desses dois anos e meio - guardei dinheiro e após sair do trabalho usei com parcimônia por quase dois anos para suprir as necessidades da casa e das meninas quando precisava, com isso fiquei de lado, era o momento e não me lamento nem um pouco por isso porque foi uma escolha que eu fiz, aproveitar o máximo que eu  podia a oportunidade de ficar com as minhas bebês : comprar não estava nas prioridades.

Também reconheço que estou nessa nova fase, a de comprar e gastar com super fulos ( estou tomando cuidado com o volume desses gastos e creio eu que até essa fase já passou também) gastei com bobeirinhas para lanches, algumas novas canetas (amo itens de papelaria) e com alguns livros, fazia muito tempo que eu não comprava tantos livros assim ( olha, na verdade nunca comprei tantos livros assim em pouco espaço de tempo, sempre comprava um que entrava na lista de se eu não ter tenho um troço!) havia parado de comprar apenas por gostar de algo uns bons anos - primeiro juntando dinheiro para o casamento, depois para a casa nova e sua reforma, logo em seguida para das bebês e sinto que na verdade desde que comecei a trabalhar realmente pesado ( sem ser em bicos e afins ) estava apenas pagando as contas de custo de vida e guardado dinheiro para um grande projeto ( fora a época que todo meu salario era apenas para pagar a faculdade e seu financiamento).

Ainda vou guardar dinheiro - sempre fiz isso - faz parte da minha natureza poupar, mas agora vou cuidar um pouco mais de mim, ler meus livros que gosto tanto, cuidar do meu cabelos, ter bons sapatos (que não machuquem meus pés), roupas nas quais eu me sinta bonita. Sei que não preciso de muito, já aprendi com o que eu preciso, mas agora quero curtir sem tanta pressão.

É preciso remodelar as vezes o que conhecemos como mundo, expandir os horizontes e relaxar 

um pouco. Essa é a fase que eu quero viver agora.

quarta-feira, 1 de junho de 2016

Livros para ler em 2016

Oi todo mundo

Uma das metas de 2016 é ler mais livros e com isso  resolvi fazer uma limpa na minha biblioteca e descobrir os livros que estão lá empoeirados esperando ser lidos

Adoro livros na verdade eu adoro ler, sou dessas que lê bulas, manuais, porém eita coisa difícil para conseguir fazer, ler ficou algo difícil quando não percebi que até para o meu hobby eu precisaria me adequar e organizar na nova fase que a minha vida entrou.

Com isso parei de comprar livros e me perdi o estimulo de ler (não gosto de ser interrompida o tempo todo), justamente o oposto que eu deveria fazer. Portanto resolvi listar todos os livros não lidos que eu possuo e irei ler neste ano. Até porque este ano pretendo ir na bienal de livros e preciso a fazer jus a essa vontade.

Uma coisa que eu sei que percebi também é culpada pela falta de leitura são as redes sociais, eita coisa para roubar tempo sem a gente perceber, em vez de ler um livro lá estava eu vendo as mesmas coisas na internet, resolvi me policiar um pouco e reserva alguns momento de leitura, as vezes não dá certo, as meninas querem pegar o livro também ou querem que eu faça algo com elas, mas já deu uma boa modificada no hábito.

Livros que estão aguardando na Estante

*A hospedeira_ encalhado desde sempre
*A teoria de tudo
*Entrevista com vampiro
*Coleção Dexter 2 ao 8 - só li o primeiro e faz quase dois anos.
*Inferno
*Minha vida na França de Júlia Child - Esse eu estava lendo quando me mudei para o apartamento, ficou guardado na caixa e esqueci onde parei e a historia ( estava quase no final) agora pretendo ler ele do zero .
*A cabana
*Branca de neve tem que morrer


Bom esses são os livros estacionados na minha prateleirae fazem parte da minha metade 2016 ler todos esses livros.