segunda-feira, 20 de junho de 2016



O quanto somos severos e cruéis no julgamento com nos mesmos?

Sempre falamos para os nossos filhos o quanto eles são especiais, únicos e importantes, crescemos e nos deparamos com o comum e com a "igualdade" - todos queremos ser feliz e buscamos o nosso lugar ao sol

E esse comum choca, porque eu mereço me dar bem em algo que se eu sou igual a pessoa do meu lado, porque eu me destacaria? 

Porque eu sou comum. Acordo cinco da manhã todos os dias, pego ônibus, ando à pé para ir ao trabalho o dia todo de segunda a sexta, sinto cansaço, sinto angústia, sinto raiva, sinto medo, tenho dificuldades, tenho preguiça, me descuido, cometo erros…Sei muito bem quando eu estou no caminho errado o que me leva a uma grande sensação de culpa, desconto minha angustia na comida, troco emoções por doces, sei de tudo isso e pesa por saber o errado.


Eu sei que às vezes me falta gentileza, às vezes não consigo conter os meus 
pensamentos negativos, muitas vezes eu olho no espelho e não gosto do que vejo, penso em x e y e vejo que não é o que eu posso mudar com alimentação e exercício que me desagrada, na lista também entram altura cor natural de pele, de cabelo, texturas...Tenho TPM, choro descontroladamente, durmo fora de hora e sei que é errado isso.

Eu sou comum, sou humana,sou mulher, sou mãe, vivo numa sociedade machista, tento criar minhas meninas da melhor maneira possível sendo fortes... mas e eu sou forte? Qual é meu papel na sociedade? O que eu posso fazer para mudar a sociedade na qual o sistema não funciona a favor do ser humano e sim contra ele? Agora me policio para não reclamar tanto, mas quantas vezes com sono, eu desejei em vez de estar no trabalho queria era estar em casa dormindo e me pego praguejando?

Aí vem o outro lado  oque descrevi acima é algo diário? Algumas coisas sim, mas estou mudando a minha forma de pensar, tenho trabalhado meus medos e anseios e sabe aquela frase :"se está com medo,vai com medo mesmo" Então, antes eu não ia, não falava com outras pessoas por medo e agora eu tenho buscado vencer esses e outros bloqueios.

Estou fazendo algo para tornar o mundo melhor, pelo menos o mundo daquelas pessoas que vão de encontro com o meu mundo, incentivo positivamente as pessoas que estão comigo, permito que elas transmitam o que desejam (mesmo não sendo a mesma ideologia que a minha). Sei que sou frágil mas sei ser incrivelmente forte quando se faz necessário.

Sofro de insonia porque sofro de ansiedade, deixo problemas que estão lá na frente me consumir até  a data final deles, mesmo quando não há nada que eu possa fazer a não ser esperar e muitas vezes o meu receio de lidar com o problema e adiar com o medo do resultado faz postergar um problema que antes poderia ser facilmente resolvido até com algumas palavras.


Estou falando tudo isso porque quero que você leve essa reflexão para dentro de você. O Quanto nos tratamos com tanta severidade assim? Cada um de nós temos particularidades que nos fazem único perante a natureza e nos conhecer, conhecer o que nos afinge e todos os defeitos que possuímos é a unica maneira para progredir e descobrir um caminho que nos faça feliz e nos agrade, é preciso acima de tudo compreender e aceitar que amor próprio, carinho e se agradar acima de tudo não é egoismo.

Somente quando estamos bem e aceitamos o amor que temos por nós, podemos nos doar e amar o outro com carinho e respeito. Como amar o outro e cuidar se não sabemos fazer isso por nós mesmos.São lições difíceis de serem aprendidas na maioria porque parece que vai um pouco contra daquilo que nós aprendemos ao longo da vida.


"Estamos numa grande jornada e só depende de nós saborear e buscar a grandiosidade dentro de nós ou apenas aceitar tudo o que vem sem nem ao menos descobrir a sua fonte"

Nenhum comentário: