domingo, 30 de outubro de 2016

Projetos para o mês de novembro

Projetos de novembro

Oi todo mundo, como vocês estão?

Eu estou dando quase se encerrado o mês de outubro e estou planejando o mês de novembro e as coisas que eu quero que realizar. Algumas coisas não dependem unicamente de mim, preciso da ajuda do marido também e aí já depende da agenda e disponibilidade também, mas se não se programar nada sai do papel não é mesmo.

Terminar o Semestre da faculdade - com graça e leveza rs, neste mês farei um pouco cada dia para não acumular os prazos finais, como foi no ultimo mês. Ainda está simples e curtinha, sem muitos extras pois estou no primeiro semestre ainda.

Terminar de pintar a sala - Sim ainda não terminei, vergonha total disso, a única parede que está faltando é a parede que tenho que tirar todos os moveis para pintar e pretendo fazer isso no primeiro fim de semana do mês.

Pintar o quarto - comprei o papel de parede para instalar e até agora não o fiz pois não pintei o quarto ainda, pretendo fazer neste fim de semana também, assim já posso por o papel de parede e continuar o projeto de decoração do quarto

Parar de roer a unha- tinha esse hábito a milênios atrás e não sei bem o porque (mentira sei sim) ele retornou e estou lutando para reverter isso.

Iniciar a decoração de Natal- está quase ai batendo na porta e se eu já amava ver a casa toda decorada, imagina agora que tenho duas crianças pequenas que ficam fascinadas com a decoração.

Ler mais livros - aqui  entra dentro de um subtópico muito importante, foco... estou precisando de foco e me reorganizar, tenho feito muita coisa picada e não estou obtendo resultados e no fim tenho lido uma folha por dia e passa tempos com o livro na mão.

E talvez o ultimo grande projeto do mês de novembro seja agendar todos os mil posts escritos desde setembro que estão todos em blocos de notas salvos no meu e-mail... cada vez escreve mais e divido mais, porém estão todos lá escritos me esperando terminar, editar, colocar uma fotinho bonitinha e publicar... acho que não estou digerindo muito bem os assuntos, por isso nunca sai.

sexta-feira, 28 de outubro de 2016

Paraiso verde

Tem dias que parece que o tempo simplesmente para

As coisas deixam de fluir, o sono bate de uma maneira descomunal e tudo o que queremos é fugir para um novo mundo.

Pelo menos eu sim.


Nesses dias eu sinto muita falta do sol, de sentir a natureza e olhar para o verde e como nem sempre fugir é possivel, eu paro uns minutinhos, nem que sejam dois mesmo e uso o método de visualização para fugir da selva de pedra e computadores que estão ao meu redor

A imagem que mais me vem a cabeça nesse momento é justamete essa, do paraíso verde. Consigo até sentir o calor morno e agradável na pele.


Sou muito grata por todas as oportunidades que eu recebo, principalmente de ter essa imagem como uma lembrança pra mim e poder recorrer a ela quando preciso sentir a natureza perto de mim.

No paraiso verde, à noite é tão linda como o dia e quando chove de madrugada eu não resisto, ela me atrai eu sempre acordo e fico observando as gotas cairem nas plantas e ouvindo o seu som tão característico.

Das coisas que me faz mais falta numa época de vida corrida são essas pausas na natureza, sinto necessidade de ver o movimento das nuvens, apreciar uma folha balançando. Talvez porque fui criada em casa, com muitas plantas e observar a natureza era parte do meu dia a dia. Talvez porque uma das diversoes que nos eram permitidas era ir a praia e lá deitada eu passava horas do dia desacelerando vendo o céu, sentindo as ondas, adorava dormir na praia, hoje vejo que era meu estado de relaxamento total, era meu Mindfullness, eu estava ali, presente.

sexta-feira, 14 de outubro de 2016

Novo Corte de Cabelo

 E quem cortou o cabelo curto e mudou a tonalidade do cabelo... Pois é eu! Eu já tinha cortado em casa eu mesma o meu cabelo num log bob, no meio da semana, eu até tinha procurado alguns salões e sempre eles estavam muito cheios e eu não conseguia hora sem marcar e depois eu perdia a coragem e desistia de cortar, aí quando a vontade bateu de novo passei a tesoura em casa mesmo. 
Fiquei um mês com esse corte mas ainda queria mais curto, porém não tinha coragem de cortar mais curto sozinha sem errar demais, aí fui no salão bem perto do trabalho num dia de messy hair e cortei mais curto ainda. Estava muito afim de mudar, se vou ter cabelão de novo eu sinceramente não sei, a tesoura tem sido muito convidativa para uma pessoa que está se propondo a mexer muito na vida, o cabelo meio que representa isso também. A cor foi um teste, estou ainda nos tons vermelhos, porem comprei um pouco mais claro apenas.  Aproveitando que o cabelo de tintura castanha saiu completamente no corte, quis deixar um pouco mais claro também e se eu não me acostumar, basta na próxima vez usar a cor mais escura de novo, pois vermelho desbota que é uma maravilha.  Eu acho que se eu tivesse um tico a mais de coragem, cortava mais curto ainda! Porém tenho u certo receio de me arrepender e passar pelo período turbulento que é o crescimento do cabelo, pelo menos sei que de um Chanel até um pouco abaixo dos ombros levam mais ou menos doze meses. 


O que me ajuda a não fazer grandes loucuras capilares é que tenho só uma hora de almoço, que não permite fazer grandes transformações, no fim de semana estou sempre tão ocupada que eu esqueço por exemplo de buscar um novo salão para marcar hora e até esperar para um próximo fim de semana para fazer ou perco a coragem ou já não tenho mais vontade de mudar.


 E nem vem fazer depois do trabalho, ainda tem tanta coisa para fazer de noite que passar mais algumas horas sentada no salão parece castigo (é eu não sou uma pessoa que é chegada em salão mesmo, o ultimo que fui faz um pouco mais de um ano e meio quando cortei o cabelo que estava na cintura até a altura dos ombros)



E Esse foi o resultado de agora do cabelo, estou simplesmente apaixonada por ele, e quer saber, está me dando vontade de na próxima vez deixar mais curto ainda!

segunda-feira, 10 de outubro de 2016

Momento desabafo : um dia de sono!

s e ver o que realmente queremos da vida.
 Um dia desses fui trabalhar com muito sono, mas muito sono mesmo, sentia meus olhos super. inchados, a mente lente, bem naquele estado que ficamos antes de dormir que os olhos fecham lentamente nas suas piscadas e sentimos o corpo mole e pesado. Não tinha como dizer que a minha mente estava longe, porque na verdade ela não estava em lugar algum, cada tentativa de me concentrar em uma linha de digitação era um esforço enorme, para piorar a minha situação eu estava fazendo conciliação de contas, ou seja um serviço para uma mente ativa e conectada e não no estado zumbi que eu me encontrava, tive que arrumar vários erros de data ( estava fazendo 2015 e vivia colocando o ano de 2016 e no sistema que trabalho só excluindo e inserindo novamente a informação), concluindo nada produtiva. Fora a minha cara taciturna, eu não estava mal-humorada, mas meu semblante estava tão fechado e a minha voz tão seca que eu aparentava estar muito brava e não era isso que eu queria transmitir, porém quem disse que eu tinha forças para isso. 


Prezo muito meu sono e dormir bem, sou daquele grupo de pessoas que precisa dormir 8 horas por noite e acordar o tempo todo também não me ajuda. Nesse dia foi uma exceção tive uma festa no dia anterior, dormi muito tarde e a sensação que a noite não foi bem dormida também. Tinha tirado um cochilo a tarde para o estrago não ser muito grande, porém pelo visto não deu muito certo isso. Comecei a ficar irritada com a sensação do meu corpo e de não estar produzindo direito, meu pensamento foi mudando ao longo dos anos, se estou ali no meu trabalho, gosto de me dedicar a ele e ficar lutando com os olhos para não fecharem não é nada produtivo. Além de dormir melhor, dormir mais, o que vocês fazem quando o organismo bate essa sensação? Alguém tem alguma dica, um mantra, um exercício para animar o organismo? Ps¹. A dica mais legal que eu recebi e sim testei e posso dizer que funciona é ir ao banheiro e dar uns pulinhos/polichinelo, apesar do exercido dar uma sensação de relaxamento no organismo, a adrenalina dá uma sacudida no corpo e deu para acordar e não bater a cara no teclado. PS². Baldes de café não fizeram nem cosquinha no meu organismo, o hábito do consumo da cafeína é tão grande que tomar o café não ajuda a ficar acordada, porém se eu não tomar fico com enxaqueca. Ps³ se a parte da manhã foi complicada, imagina na parte da tarde que eu sabia que era ela (o período da tarde) que me separava de uma boa cama para dormir?

sexta-feira, 7 de outubro de 2016

É chegado a hora

É preciso saber a hora de parar o café, a hora de simplificar a vida,
de tomar uma birita e de fazer as pazes com a vida.

É preciso saber a hora de cortar os cabelos, mandar um beijo ao vento e aceitar o seu acalento.

É preciso saber a hora de parar de comer glúten, de comer uma maçã por dia, fazer aquela caminhada e colocar o chá no cardápio do fim do dia.

É preciso aceitar as ruginhas ao pé dos olhos, os brincos diminutivos e uma boa taça de vinho.

É chegado a hora de deixar partir aquilo que não lhe cai bem, aquela saia que não entra mais, aceitar aquele jeans mais alto.

É chegado a hora de deixar o refrigerante de lado, de aceitar que certas pessoas que ficaram para trás e que de fato a vida ficou bem melhor assim.

É chegado a hora de aceitar levar um casaquinho na bolsa, não sair de cabelo molhado, de dormir de meia no inverno.

É chegado a hora de voltar ao sagrado, celebrar as raízes e permitir as folhas caírem.


Feliz 32 anos pra mim!

quarta-feira, 5 de outubro de 2016

Diario de uma EAD - Meus primeiros quinze dias!

Oi Todo mundo, hoje eu contarei como foram os primeiros dias da Faculdade à distância e já vou adiantar, se você quiser fazer isso direito, vai ser pesado e até mais difícil do que a presencial e já t e explicou o porquê, na presencial o fato de você estar ali presente, ouvindo e participando das aulas já valem como uma " nota de participação" como diriam os professores de antigamente, essa nota te ajuda naquele meio ponto, a sua presença já te ajuda a "chutar" uma questão que você não lembra muito bem... Agora no ensino a distância eles não tem como controlar se você está realmente participando e lendo os conteúdos ( e não vale dar aquele oizinho no fórum e apenas mudar as palavras das mensagens anterior) então a saída é muita atividade avaliativa, além de vários trabalhos e muito conteúdo para ler, muito mesmo.



Eu sabia que tinha que ser organizada (novamente, se você quer fazer isso direito rs) que eu teria que manter os controles das aulas e atividades para não acumular e ainda teria que saber distribuir meu horário, porque não tenho um lugar especifico em casa onde eu possa me isolar e estudar sem interrupções.

A falta desse isolamento prejudica muito e esse quesito eu não tenho muito como resolver é administrar a bagunça em volta e abstrair as distrações. A mesa que eu uso para estudar é muito pequena, porém é a que tem mais tomadas próximas, até pensei em colocar uma extensão e utilizar a mesa de jantar, mas um fio no meio da sala com duas pequenas correndo e brincado não é muito seguro.

Comecei as aulas atrasada, pois é eu nem sabia que isso era possível, fiz a matricula no último dia (dia 12 de agosto) e as aulas já tinham começado desde o dia 08 e demorou mais ou menos uma semana para ter acesso a plataforma de estudo, então quando eu obtive o acesso quase caí para trás com o volume de coisas para fazer e entregar que estava ali a menos de uma semana.

Para ajudar não foi uma semana nada tranquila, as meninas não tinham aula e o meu marido precisou ficar com elas no horário convencional de trabalho e indo trabalhar à noite, estava muito frio, ficando doente o tempo todo e acabei muito estressada e ansiosa por não achar que daria conta.

Para sentir o drama, um vídeo com duração de 15 minutos, levei mais de meia hora para assistir, ok que parei algumas vezes porque eu precisava fazer as anotações, mas muitas vezes eu simplesmente não conseguia ouvir/prestar atenção porque a bagunça corria solta. Horas as pausas eram urgentes (uma fralda ou uma parada estratégica para levar a mais nova ao banheiro) e outras pausas eu tentando ser a mulher maravilha e tentando fazer tudo ao mesmo tempo (o almoço e jantar... corre para desligar a panela... corre para ligar a máquina que já estava de molho para dar tempo de pendurar tudo antes de dormir) e claro assim não funciona.

Demorei para compreender que não é porque eu estava em casa, que deveria fazer tudo ao mesmo tempo, precisava descansar, respirar e ainda sim encaixar todas as necessidades ao meu favor.

Não ajudou ver o quanto de matéria eu teria pela frente (a plataforma do semestre é liberada de uma vez só) isso me fez ficar mais ansiosa e achar que não daria conta.

Também uma overdose de lição uma única vez também não ajuda - passei um fim de semana todo sentada sem uma única pausa, para tentar pôr tudo em dia - não funcionou, também gerou estresse e cansaço e quando chegou domingo à tarde, tudo o que eu lia não fazia mais sentindo nenhum.

Então os maiores erros que eu cometi nesses primeiros quinze dias foram:

_ Subestimar a quantidade de matéria, eu sabia que seria um conteúdo extensivo mas achei que seria fácil e de rápido execução;
- Não preparar o espaço do estudo com antecedência, minha primeira aula a mesa estava entulhada de coisas que não pertenciam ao lugar, porem como já estava em cima da hora eu tinha que escolher entre arrumar a mesa ou fazer as lições;
- Ficar ansiosa, ok é muita coisa sim, mas é melhor ficar preocupada no fim do semestre e não na primeira semana de aula achando que não vai dar conta;
-Achar que trabalhar muito picada uma matéria iria fazer diferença, não faz, tipo eu tinha as vezes dez minutos de folga e ia correndo pro computador, não dava tempo nem de meia absorver meia folha de matéria, era melhor usar esse tempo em outra tarefa menor e com isso ter mais tempo livre depois para estudar com mais tranquilidade.

E apesar de ser uma pessoa que busca uma organização constante (aprimorar sempre a técnica) me vi confusa e perdida nesse início, foi pura ansiedade e afobação. 


Até o próximo diário pessoal!