domingo, 20 de agosto de 2017

Um dia de choro, meu e dela!

Se tem uma coisa que acaba comigo é o choro das meninas,não importa se estou perto ou longe, o choro me pertuba, horas é pela frescura e elas sabem como usar essa ferramenta, outras vezes é pelo sentimento de dor, ninguem chora à toa, e o choro de eu quero a minha mãe desperta em mim a minha dor de abandono, como se eu não estivesse sendo uma boa mãe, estivesse deixando de cumprir a minha obrigação de colo e carinho.

Recentemente teve um episódio desses, eu não estava bem de saúde e tinha dormido muito mal e como estava vindo de um dia de folga coletiva fui trabalhar mesmo assim. Onde trabalho não tem esquema de home office, reuni as forças que tinha, me entupi de medicamentos e fui trabalhar, porém a pequena passou a manhã chorando, ela estava cansada e com sono e me queria. não faltou muito para eu querer ir embora, estar com ela, dar o meu colo.

Se eu já estava fragilizada, fiquei em frangalhos também e engoli o choro, depois disso minha manha se arrastou a cada minuto até a hora do meu almoço, no qual nem a refeição entrou e eu apenas abaixei a cabeça na mesa com fone de ouvido para não ser pertubada.

Adormeci, com as lágrimas escorrendo, com o coração cheio de culpa e rezando para que a minha menininha ficasse bem. Nesse dia foi preciso de muita força de vontade para não sair da minha cadeira e ir embora, foi preciso raciocinar que não sou a unica mãe que fica com coração na mão ao deixar sua criança para trabalhar, que assim como eu muitas não tem a opção home office e não é algo fácil de achar e que eu precisava ser forte porque eu precisava estar no meu trabalho.

Porque eu estou contando isso, porque se você assim como eu é mãe e trabalha e passa por isso também, você não está sozinha como você pensa, são assuntos que não são falados em voz alta com medo de acharem que somos más mães ou com medo de nos acharem péssimas profissionais e que não conseguimos nos desligar do mundo materno.

Você não está sozinha, por mais que não possa falar as vezes com outra pessoa quando isso acontece, saiba que aqui você vai encontrar meus desabafos sobre a realidade de abraçar o mundo e as dores de quando as alfinetadas acontece, aqui seus comentarios, dicas e desabafos serão recebidos porque você não está sozinha, acontece sempre isso comigo e acontece com a outra ali do lado que te julga na hora do comentario, mas quando chega exausta em casa com muito ainda para fazer se julga porque não tem mais tempo livre para as crianças.

Aqui voce encontra um espaço para desabafar, meu abraço virtual e porque não mil conversar em privado para desabafar e aliviar essa sensação !

Até mais

quinta-feira, 17 de agosto de 2017

Retorno às aulas Ead : O que eu gosto de fazer



                O Segundo semestre parece mais curto do que o primeiro, não sei se é a pressa para acabar o ano, o cansaço ou tudo junto e misturado, pelo menos na minha área, conforme vai chegando ao fim do ano, temos que ter o máximo de trabalho finalizado porque assim que inicia o ano tem uma chuva de declarações a serem entregues (além das declarações mensais que o setor possui).
              
  Este ano esse 3º semestre se iniciou em 09/08 e as últimas atividades serão por volta de 28/11 (provas finais já). Essa semana começam as minhas aulas ead, isso significa que a plataforma com os vídeos e os textos são liberados para os alunos, assim como a agenda pedagógica com as datas das entregas de todas as atividades. Então antes de efetivamente começar "as aulas" gosto de tomar as seguintes providencias:

* Baixo todo o conteúdo em pdf para o meu computador (salvando na pasta do semestre/matérias) e levo esse conteúdo para o google drive, onde deixo todas as matérias até hoje - já aconteceu de não conseguir acessar a plataforma de ensino e no dia que eu tinha livre para estudar, não conseguir por que eu não tinha nada salvo (erro de principiante) a partir desse dia eu comecei a salvar algumas matérias e agora faço isso assim que libera o acesso ao portal, isso também me salva nos dias/locais sem internet, basta acessar o conteúdo básico do pdf e mandar bala.

* Baixo a agenda pedagógica do site e já programo no google calendar e na agenda física (um simples lembrete) das datas de entrega das atividades, porque assim se eu quero sair no sábado e passar o fim de semana todo sem internet e tenho uma atividade para entregar na terça (dia normal da entrega das minhas atividades na faculdade) sei que tenho que durante a semana resolver isso antes.

* Dou uma breve olhada no conteúdo, pode parecer desesperador (no começo era essa a sensação que eu tinha ao imaginar a quantidade de coisas que eu teria que ver ao curto prazo de tempo), mas aprendi a controlar a sensação e hoje eu prefiro saber o que eu estarei vendo de conteúdo programático, até para caso eu queira aproveitar alguma palestra que tenha na região para aprofundar meus conhecimentos.

* Depois de ver as matérias, checo o material que tenho, cadernos, cageds em geral, foi numa dessas que vi que iria precisar de uma nova calculadora e assim tive tempo para pesquisar o melhor preço e não em cima da semana que passaria a usar, memoria externa, bateria, tudo que eu poderei usar ao longo do semestre, isso cria tempo hábil de pesquisar promoções e conseguir preços bons em produtos que eu queira ter ao longo do curso e até me programar quando eu comprarei alguma coisa.
Espero que tenham gostado desse post, tem alguma dúvida sobre o ensino a distância? Manda para mim nos comentários ou por e-mail que eu respondo, se não quiser que eu publique, basta pedir privado que dependendo do caso eu faço post ou respondo por mensagem mesmo.


(Próximos posts da série ead: Meu escritório móvel)

segunda-feira, 14 de agosto de 2017

O quanto nos importamos com a opinião do outro?

Bom antes de mais nada, acho que está bem claro que o blog tem mudado muito a linha de assunto, como já falei antes o blog nada mais é que um reflexo da minha vida, não trabalho com ele e ele é meu hobbie e  a minha maneira de desabafar e me expressar para o mundo, o mais legal é que desde que eu entrei nesse processo de transformação e consequentemente o blog também se transformou, o número de acessos aumentaram bastante e isso tem me deixado muito feliz, com gás de escrever ( mesmo que muitas vezes de forma bem improvisada) e cada vez mais isso tem me impulsionado a continuar todo esse processo que estou vivendo, já vos digo não é nada fácil! É constantemente dar a cara a tapa, se remexer no sofá para sair da zona de conforto e consequentemente colocara mente para funcionar para sair do padrão antigo de pensamento.

Uma das coisas que eu tenho achado bem dificil é o fato de quanto pesa a opiniao do outro na nossa vida, a partir do momento que eu resolvi aceitar as mudanças que eu desejava fazer eu deveria assumir integralmente o papel que eu queria na minha vida ( tente imaginar um vegetariano... e para não ter que viver se justificando ou sofrendo "bullyng" da sociedade ele resolve comer carne "socialmente"... então vegetariano ele não é né, a partir do momento que certos passos são dados, voce tem que vestir a camisa).

Uma vez eu li ( infelizmente não lembro o lugar) que o caminho dos iluminados pode ser solitário (sem egocentrismo ok, mas sim estou caminhando na luz em busca da melhor versão de mim.) e é uma grande realidade, por exemplo eu não consigo mais ficar numa rodinha falando mal de fulana só para me enturmar e fazer parte, acabo ficando boa parte do meu tempo sozinha mesmo apesar de viver rodeada de pessoas, minhas conversas são com um grupo seleto de pessoas entre eles poucos amigos e a minha família e hoje me sinto mai confortável com isso, claro as vezes bate falta ter uma "best friend" para conversar ou tomar um cafe no ambiente do trabalho, mas a minha consciência não permite que eu tenhas atitudes diferentes daquelas que estou buscando (seria muita hipocrisia !).

Entendi muito do significado da expressão orai e vigia, quando passei a realmente me testar no mundo lá fora, não é facil não reclamar,não falar mal das pessoas ou das situações. Mudar é complicado e pelo que tenho estudado, sinceramente não sei se é algo que um dia será automático, acho que só quem chega a iluminação altifica é que podera se livrar completamente desses pensamentos.

E aí entra a parte do quanto é preciso trabalhar essa parte da nossa consciencia, o quanto damos importancia para a opiniao do outro, porqu veja bem, a partir do momento que voce se assumir diferente, viver de modo diferente, não fazer parte da "panelinha", a grande tendencia é que voce vire o centro das atenções e muitas vezes não da forma positiva, mas aí vem o peso da sua propria opinião, o quanto viver com as nossas convicções é importante para nós?

Pode ser libertador para de pensar tanto na opiniao do outro e o que desejamos deixar como nosso legado e como realmente desejamos viver, claro fico chateada, já fiquei muito triste e toda vez que isso acontece eu me pergunto se eu desejaria fazer parte da situação, estar ali fazendo o mal a alguém ou vivendo a minha vida da maneira que acho "mais saudavel" medito muito, purifico os meus sentimentos e sigo em frente tentando cada vez mais deixar a opiniao dos outros de lado, porque na minha pele, quem vive sou eu entao eu é que preciso estar confortavel com a minhas atitudes e no que eu acredito agora.

Namastê

quarta-feira, 12 de julho de 2017

Não existe jogo fácil!

A verdade nua e crua de porque algumas pessoas tem algo e outras não pode ser mais extraordinário do que você pensa: " Não existe jogo fácil!"

É necessário muito treino, treino pesado, exaustivo, abrir de muita coisa que para uns é banal  e para outros nem tanto, existe sim uma boa parcela de sorte, de herança recebida (mas que sem juízo nada adianta), estudo, lagrimas e tudo o que possa imaginar. Mas fácil, fácil mesmo... humm talvez para os filhos de Beyonce, porem... sem juízo, nem pra eles pode ser fácil essa vida.


E porque estou dizendo tudo isso... Pra mim, para quando ando sem inspiração, achando que já "tá bom", que os próximos degraus não são fáceis de pisar...O conceito de vida pra mim mudou muito, estou achando que tá mais para parede de escalada do que de escadaria, será?!

Já me perguntei tanto o porque escrevo no blog, porque o vento não podia soprar um bocadinho ao meu favor, só que ele já não sopra? Eu já não sinto todos os dias a brisa da gratidão da minha existência e da existência daqueles que são caros pra mim. Então do que reclamo?

Não existe jogo fácil, essa é a verdade, para o jogo (dia) ser considerado bom ele tem que te cansar, te provocar, ele tem que ser vivido, ele tem que ser sentido, tem que remexer sentimentos, provocar sensações, você não pode ganhar um jogo sem participar dele e muito menos ganhar todos os jogos, porque afinal que graça teria de continuar sem ter um objetivo, um desejo que te move, que joga pra frente sempre, como jogar com todas as armas sem ter um "querer" lá na frente, uma peça a ser alcançada. O querer pode ser alcançado, o desejo te move, tem modifica, o desejo é aquela força absurda que mesmo exausto, sem forças, te lança longe nas ondas, porque ficar naquela ilha já não te basta mais, você quer novos territórios.

E vamos falar de dores, sim as dores existem, elas são muitas, elas são profundas e impactantes, elas precisam existir, sempre existe a dor da existem, se não fossemos capaz de suportá-las, a existência humana já havia se extinguido.


Flerte com a vida, caia, rale o joelho, se jogue, mas faça um jogo bem feito, daqueles de tirar o folego de quem está dentro e de quem assiste também, afinal o fim de todos já está escrito, nó só podemos escrever o meio da nossa história.

Portanto, se de vez em quando também precisar de uma dose de inspiração, aqui tens muita, ou quase, você é quem sabe se pode virar inspiração ou não.

Eu quero mais, eu aceito mais, eu aceito tudo o que está por vir.

Eu aceito, eu confio e eu agradeço

Tudo que está na minha historia é meu, veio de mim e tudo o que está por vir também!

Até mais.

quarta-feira, 21 de junho de 2017

O céu é o limite?

Essa semana eu fiquei doente, pensa numa pessoa imprestável, pensou? Era eu, calma nada grave, porém meu ponto fraco, atacou o estomago, posso estar com febre, com pontos, nada me abala tanto quanto enjoos e outros problemas característicos de um estomago.

Tudo acumulou mais do que deveria e meus planos de pôr a vida em ordem fisicamente e planejar o que faria daqui para a frente da minha vida ficaram em stand by. Mal conseguia pensar no básico de sobrevivência familiar, quanto mais pensar no meu futuro.

Para quem não sabe, de tempos em tempos passamos uma fase familiar que só eu fico em casa, marido por causa do trabalho, dobra de turno e a casa e as crianças ficam só sob minha responsabilidade e lembrando que eu também trabalho em período integral o que me deixa somente o horário noturno para fazer tudo que eu preciso.

Com as férias da faculdade, eu tinha pensando em descobrir qual seria meu próximo passo, pois a minha vida estava precisando de um norte e fiquei pensando na frase o céu é o limite, aquilo que sempre dizemos para as crianças - você pode ser o que quiser! E essa frase ficou matutando essa manhã, alguns sonhos até por limite de idade, não posso mais realizá-los, mas eu tenho uns outros tantos, será que estou disposta a ir atrás deles, nada vem de graça, pelo menos eu acredito isso, tudo que é bom, vem através do trabalho.

Eu fico me perguntando se é perda de tempo ter entrado no Francês, será que eu realmente conseguirei ir visitar a França, se for algo tão distante como é na minha realidade hoje, porque eu invisto tempo e dinheiro estudando uma outra língua?

Quando voltei a estudar inglês à quase cinco anos atrás, eu tinha o sonho de ir para a Disney e queria ir sabendo falar inglês, a cada dia que passa está mais distante com o aumento do dólar e as prioridades de sobrevivência bem à frente de apenas visitar outro país.

Eu ainda tenho a perspectiva que saber outros idiomas possam fazer diferença na minha vida profissional, onde estou e por onde passei isso não era diferencial algum, porém eu não sei o dia de amanhã e se uma próxima empresa possa ter a vaga que se encaixa nesse perfil que estou moldando?
Eu não sei se é perda de tempo, mas naquela hora semanal do curso eu realmente estou ali, não penso em outra coisa a não ser moldar a minha língua para que a fonética saia parecida com a do professor, então pelo menos a minha mente não está divagando como a maioria das vezes.

Eu ando numa fase muito peculiar de estar precisando de coordenadas para continuar, tudo está parecendo longe demais para dar certo, ou quase beirando impossível, como trocar de casa (já engavetei esse projeto por enquanto, estamos a cinco anos nesse apartamento e não sei por quanto tempo mais ficaremos, comprar outro imóvel está parecendo fora das nossas possibilidades por um tempo), tem a indecisão quanto a carreira como fator limitante ao crescimento. 

Agradeço todos os dias pelo que tenho, acho que está apenas faltando uma carta do futuro me dizendo calma que está dando certo, nem tudo é tão rápido assim e nem tudo é para todo mundo.

As vezes eu penso o tão famoso: "poxa, mas eu não mereço?"

 E me deixo abater muito por isso, agora estou tentando me apegar no fator de quanto a minha família já cresceu, eu não acredito que eu sou sozinha, tenho as minhas crenças limites e também todo o meu desenvolvimento pessoal se dá através de tudo que eu vivi e o que eu passei desde criança, eu sou casada, tenho duas filhas e o meu "hoje" é a soma da minha história com a do meu marido. 

Nós crescemos e muito, somos de família simples, nos casamos e a cada dia batalhamos por tudo que temos, se hoje temos o que temos é por causa do nosso trabalho, de abrir mão da convivência familiar (te admiro muito viu marido por todos os dias que precisa voltar ao trabalho para ter um projeto concluído, eu sei que é para a família que você faz isso).

Mudar a chave do pensamento é o que está me fazendo superar essa crise existencial momentânea, talvez seja cedo afirmar, mas essa está sendo a melhor crise de todas porque em vez de permitir sofrer, estou me permitindo analisar, estudar quem eu sou, claro que dó se questionar o tempo todo, porém existe limite para o crescimento? Eu posso não ser uma aeromoça..., mas ainda posso me dar o direito de voar...


E todo sonho tem um preço. Será que estamos dispostos a pagar o preço que ele tem?

segunda-feira, 5 de junho de 2017

O retorno pela busca do minimalismo

Crises existem, e eu vivo tendo crises, Calma que eu vou explicar direitinho o que são crises para mim.

Já me degladiei muito com as minhas crises e hoje procuro deixar a acontecer essa guerra interna de forma mais amena possível, tento não me abater muito, mas as vezes isso acontece.
Estou passando por uma crise daquelas bem grande, sabe quando a crise vem e muda todas as suas engrenagens de como viver e ver a vida? Estou numa dessas e a parte mais engraçada de todas é que eu demorei para ver que estou num período de transformação.

Dentre muitas certezas, a que mais reina em mim é que o minimalismo (dentro do que eu vejo como quantidade necessária para mim) toda vez que a minha casa parece entulhada demais, eu começo a sentir sufocada, necessitando de espaço e aí passo a desejar um espaço bem maior para viver e como isso não é possível eu penso se eu mudar para um espaço maior, passarei a entulhar lá também e começo a detalhar a minha casa, meus pensamentos e passo a libertar a minha alma.

É nessa hora que bate uma crise existencial, eu começo a questionar se eu estou fazendo a coisa certa (o hábito de fazer um consumo mais consciente cada vez fica mais intrínseco em mim, compro cada vez menos por impulso e sempre questiono se preciso realmente ou se quero muito).
Aí passo a me sentir perdida, questionando os meus valores, a minha capacidade, as coisas não fazem sentido, o mundo perde a cor, é nessas horas que eu sinto que uma mudança é necessária, as vezes são pequenas coisas que incomodam que precisam ser modificadas, outras vezes é o fim de uma era que precisar ser aceita e ser modificada para um novo início.

Assim é a vida, cheia de ciclos.

O Consumismo não te fará feliz, nem o minimalismo se isso não é a sua essência de vida, você pode achar lindo as casas no estilo nórdico ou dinamarquês (como eu acho), porém se viver num ambiente assim não lhe alegra a alma para que viver? Por que é o "it" do momento, porque um ambiente clean é o que dizem de mais moderno?



Minha alma é colorida, florida, se agita nas cores da natureza, isso é que me deixa feliz e porque eu estou dizendo isso? Porque recentemente li numa matéria sobre minimalismo que ensinava como decorar e basicamente tudo era só branco e cinza, nada de almofadas, quase um ambiente decorado de prédios em construção e pensei nossa nunca alcançarei o minimalismo, mas logo veio o estalo de calma aí, porque o meu minimalismo tem que ser datado por um número fixo de apenas quatro pratos, quatro copos e apenas um jogo de talhares para quatro pessoas? Se isso não me fará feliz, também não me fará feliz ter dez jogos completos para oito pessoas, o meu equilíbrio da quantidade de coisas que eu desejo ter será datado por mim e não por uma reportagem ou algum guru.

Existe um ponto de equilíbrio e só você poderá dizer que chegou nele, só você poderá comparar seu antes e depois e falar que chegou no seu minimalismo e ninguém tem o direito de lhe dizer o contrário.

Procurar listas de quantidades, ver vídeos sobre o assunto, decoração, estilo de vida, tudo isso faz parte como inspiração!

Eu retornei a minha busca, olhei em volta e não me encontrei onde eu estava, doeu estar ali , meio perdida no mundo, doeu abrir mão das coisas acumuladas é todo um processo de redescoberta, porém a sensação de alivio ao acordar hoje de manhã e sentar no meu sofá, saborear tomando meu café e enxergar espaços vazios foi  tão bom, um misto de aconchego, libertação e de dever cumprindo, quero tirar muito mais coisas e encaixar outras tantas que eu vejo que estão um pouco perdidas ali, mas no meu coração sei que toda a dor que me levou novamente a iniciar essa "limpeza"  física das coisas que eu tinha me levou a limpar a minha alma junto também.




No próximo post sobre esse assunto, falarei um pouco mais desse processo que ainda está acontecendo comigo, de como isso mexeu com a minha família e talvez eu mostre algumas transformações dos espaços da nossa casa.

Até mais!

quarta-feira, 24 de maio de 2017

Diário Ead : Quanto custa uma graduação à distância ?

Oi Todo mundo! Hoje resolvi falar um pouco mais sobre a Graduação à Distancia

A resposta para esta pergunta não é nada fácil, afinal depende muito da instituição que escolher e o curso desejado, porém é possível fazer uma estimativa.

Um dos motivos de ter escolhido a graduação à distância, foi o custo do curso em relação ao presencial, enquanto o valor regular estava em 599,00 (valor cheio), no curso à distância o valor era 316,50 , com direito à descontos proporcionais de acordo com a data de pagamento, uma diferença de R$ 4.800,00 anuais.

Estrutura para os estudos
Esse é um item que precisa ser pensado com cuidado, apesar de uma estrutura física ser bem interessante para o aproveitamento positivo do estudo, porém uma mesa com espaço para espalhar o material já vai lhe bastar, agora o problema mesmo é o equipamento.

Quando iniciei o curso, meu notebook já dava ar de não dou conta disso e ele só provou que não dava conta mesmo, brincadeiras à parte, achei que não irei influenciar muito o resultado, mas ledo engano, como ele já era velhinho de guerra, volte e meia ele travava se eu abria a plataforma "AVA", os vídeos que rodavam em outra plataforma e por exemplo abriu o Word para fazer anotações, era suficiente para "travar" tudo e ter que fechar algumas telas.

Troquei recentemente por um le novo e em breve falarei mais dele, ainda não me acostumei com o teclado e prefiro usar o mouse à parte em vez de usar o mousepad do teclado, porém auxiliou muito na velocidade que eu assisto as aulas pois posso aproveitar os recursos de maneira mais eficiente.

Internet com boa velocidade, parece obvio, já que o curso é on line, mas juro que já passei por muitos perrengues de deixar para o último dia de postar as atividades e a internet oscilar tanto que algo que era para ser rápido virou tortura, é algo que preciso trabalhar muito ainda, não deixar para a última hora para não passar por sufocos assim, troquei a internet por uma velocidade maior, as oscilações diminuíram muito ( com a antiga operadora era muito maior) mas as vezes ainda ocorre, por isso prevenir é melhor do que chorar o prazo perdido.

Deslocamento para as provas sempre é algo a ser levado em consideração, no meu curso são duas provas e a cidade ainda é próxima, então o custo é baixo, mas se a cidade for bem longe é necessário além do gasto da condução, pode ser necessário o gasto de alimentação e até mesmo de hospedagem.
Livros e Material de estudos.
Uma parte do material é disponibilizado em PDF nas plataformas, além dos vídeos das aulas que podem ser assistidas enquanto está naquele semestre vigente, porém eu sinto falta do acesso a biblioteca, a minha faculdade possui uma biblioteca virtual, com alguns livros que podem ser lidos na própria plataforma, porém para mim não é a mesma coisa. 

Eu ainda não fui atrás para saber se o meu Polo tem Biblioteca Física e se posso usufruir dela, mas confesso que ficar indo até a faculdade só para olhar e não esquecer de devolver o livro é algo que para mim é contramão já que ela é longe.

Estou pensando em comprar alguns livros para estudar, estou pesquisando essa possibilidade, na minha primeira graduação eu quase não li livros da área, além de serem muito escassos, eram muito caros e eu além de não trabalhar na área na época, eu não trabalhava de forma contínua (os famosos bicos) então não podia investir nisso, como hoje o contexto é completamente diferente, penso em criar a minha própria biblioteca de pesquisa, aos poucos, mas isso já é assunto para outro post.


Então esses são alguns itens a serem considerados em relação ao planejamento financeiro de fazer um curso pelo método EAD, no próximo post vou falar mais dos prós e contras na hora de escolher o curso.

Até mais!

segunda-feira, 8 de maio de 2017

Sobre coisas bonitas e dia das mães

Sobre coisas bonitas e dia das mães

Cliche ... estão preparados?! Nossa não precisava ! Nunca ouviu isso de alguem? Nem da mãe nessa certa data que está chegando?


Hoje é aquela típica segunda feira pancada, que você conta as horas para um banho, um escalda pés e dormir, estou caindo pelas tabernas e tem muita coisa para fazer hoje após duas semanas e meia me dedicando interamente a faculdade e a festa de aniversário da pequena.

No próximo domingo é dia das mães e esse dia ainda não foi organizado na nossa família, porém com essa correria eu já providenciei os presentes, para que a data não passasse em branco ou que eu tivesse que correr atrás de alguma coisa sem muita inspiração.

MArido já soltou algumas indiretas, não sei se ele queria uma inspiração do que poderia me dar ou se é apenas para criar um suspense no ar, a verdade é que esse ano nem estou pensando muito no presente físico em si.

É claro que eu gosto de ganhar presentes e se eu fizesse uma lista de coisas bonitas que eu gostaria de ganhar, eu teria que catalogar por tipos para caber aqui, mas na verdade é que eu gostaria de uma café da manha na cama, sem nem levantar ( Isso não é algo raro não viu meu povo, recebo vários mimos assim), ficar um bom tempo debaixo das cobertas assistindo algo bom na tv e passar em familia. Tenho muito a agradecer, tenho a minha mãe nesse dia comigo, que é uma benção ter alguem a quem amar nesse dia, tenho as minhas pequenas que me alegram e de tão trabalho como toda boa criança e ainda é tão simples, não tenho que pensar muito, as carrego comigo e pronto, oh beleza de infancia!

Hoje o cansaço está grande, daqueles que se você não cuidar, dorme entre uma nota e outra, mas esse cansaço todo é resultado de um momento junto, um momento que eu me dediquei integralemente em ser mãe e pra mim, esse é o meu presente, ter essa oportunidade.

Entao de presente eu quero fotos bonitas, poder agarrar e beijar muito e registrar esse momento para quando a mente estiver cansada e ver e lembrar de que coisas bonitas são feitas de momentos presentes tambem!

quarta-feira, 3 de maio de 2017

Sentindo #1




Toca o telefone, chegou a hora de mais um dia começar

Levanta da cama…espreguiça, dor no corpo, calma logo passa

respiro e penso, olha as bençãos antes de qualquer coisa

banheiro, lavo o rosto, quantas olheiras... eu dormi?! Sim, acho que sim, ou só fechei os olhos por um instante?

caminhada, ida ao trabalho

tec tec tec... telefone, porta, tec tec tec, sistema parado, tec tec e-mail, cliente, tec tec... e as horas passam, os olhos pesam, o sono aperta o animo esvazia, vontade.. .cadê, lembre-se , olhos para as bençãos da vida

Fome?

o tempo todo, calma... é fome ou vontade, segure a ansiedade...

Olhos ao horizonte, é noite que cai, céu laranja, daqui a pouco o meu amor me chama...

caminhada, volta ao trabalho

é jantar, filhos,banho, faculdade, trabalho, artesanato, familia, telefone

banho quente, bem quente, meu aconchego...

beijo de boa noite, abraço apertado, bracinhos me entrelaçam...

Cansaço…
Pálpebras cansadas…
Cérebro não desliga, mais um dia...

sexta-feira, 28 de abril de 2017

No momento

Oi todo mundo

Estou nessa sexta feira, super cansada, com uma gripe querendo ultrapassar barreiras (afinal de 30° para 15° é muita diferença térmica para este corpinho que vos escreve) já dei umas resmungadas porque tinha esquecido que amanha tem aula e rola uma preguiça mortal de sair de casa e tomar uma condução. Passa rápido a aula tem só uma hora de duração e é uma delicia, a cada pronuncia nova que eu consigo fazer e a cada texto onde eu passei a reconhecer míseras palavras me fizeram transbordar de alegria. É aquela preguiça antecipada que não nos deixa levantar da cama, porém quando a gente vai lá e faz e pensa nossa e eu ia perder isso !

A cada aula de Frances eu penso que eu deveria voltar urgente a ler em inglês, vocabulário é tudo e é impressionante como as palavras estão me fugindo. O extremo cansaço mental no qual me encontro ultimamente também colabora, já que nem o meu português está saindo lá aquelas coisas, constantemente esqueço as palavras que quero usar e ao escrever preciso reler várias vezes para verificar se o texto está de forma culta ( no trabalho) e ao mesmo tempo de fácil compreensão.

A vida está um pouco estagnada, o que não é ruim, se não fizesse parte dessa estagnação o cansaço e a desorganização que está vindo dele, a verdade é que eu desejo muito descansar, mas a cada minuto que não faço uma coisa eu fico pensando no que deveria estar fazendo... o que me faz não descansar nada.

Estou indo, vou empurrando o que dá, vou lamentando o que vai caindo e se quebrando pelo caminho, mas não me importo contanto que as prioridades vão sendo supridas

A faculdade está abandonada, vou apagando incêndios conforme os cenários da crise vão se agravando, estou a uma semana das provas gerais,junto com o aniversário da Alice que é todo caseiro e feito a mão, no mesmo dia de um concurso público que eu queria muito ter me preparado, porém não foi dessa vez que eu cheguei perto de uma preparação passível de uma boa colocação.Perdi uma proposta para a mudança de casa e isso me deixou muito abalada, caí da escadaria do trabalho e me machuquei, com a lesão no joelho tive que me afastar da academia, voltei a engordar seriamente, deixei a dieta de lado e essa atitude me entristeceu, a cada coisa que eu comia que eu sabia que não iria nutrir meu corpo me punia porque eu sabia o que eu estava fazendo não era apropriado.

Acabei me afastando dos meus amigos, não gosto de  obrigar a ninguém conviver comigo quando estou negativa e com tanta coisa que eu não dava conta, como eu ainda iria fazer "hora " enquanto eu tinha mais incêndios para apagar?

Eu não fui criada para reclamar, eu fui criada para sobreviver e é isso que eu faço, mas hoje sei que essa crise "existencial" - apesar de eu não estar mais questionando a minha existência - é para algo melhor vir, para eu conhecer as minhas prioridades, medir as minhas forças e ver o quanto eu sou mais forte do que eu imagino e prosseguir nessa transformação constante da vida.

Então me perdoe se o blog está parado e as postagens bem escassas, estou escrevendo muito, porém não sei se o conteúdo que está ali escrito deve ser compartilhado, muito íntimo de reflexões que foram cuspidas em forma de letras que eu só percebi depois de reler o rascunho para verificar a coerência.

Agradeço a todas visualizações que o blog está possuindo e prometo que aos poucos ou trazendo mais coisas por aqui!

beijos e até mais!

Ainda ganharei o mundo, nem que seja o mundo dentro de mim!

domingo, 26 de março de 2017

17 Metas para 2017!

Vamos as 17 metas para 2017!

Não estão em ordem de desejo ou realização, apenas fui anotando o que eu realmente gostaria de ver realizado no próximo ano e que fosse algo mais real.


1 - Montar o meu escritório (nem que seja móvel);

2 -Passar de modo mais suave nos dois semestres da faculdade, estudar muito mais para fazer esse projeto valer a pena. O que significa realmente pular de cabeça;

3-Iniciar meu curso de Frances - Já pesquisei o valor para estar iniciando, será on line por enquanto e quero ver como me saio dessa maneira e mais pra frente terminarei o curso de forma presencial;

4-Buscar meu curso para a certificação em inglês ( preciso que seja aos sábados, se financeiramente não for possível agora, quero ter a ideia real de quanto preciso para conseguir a realização dessa meta, para poder me planejar para a realização da mesma);

5-Emagrecer 30 quilos. Mudar a minha alimentação (largar o glúten no qual sou intolerante) e iniciar atividades físicas ;

6-Simplificar mais a vida familiar, buscando torna-la mais saudável e passar mais tempo em casa, juntos com atividades em familiar;

7-Seguir um plano financeiro ( Investir na troca do nosso Imóvel para um mais compatível com as nossas necessidades;

8-Trocar meu computador - Ele está pedindo arrego desde o começo do ano de 2016, porém não tive coragem, vou guardar dinheiro e enquanto ele funcionar eu irei usar, aí quando pifar de vez eu troco;

9-Estudar Matemática básica - Quero sanar todas as minhas deficiências básicas na disciplina;

10- Buscar fazer mais passeios ao ar livre e proporcionar para as meninas um contato maior com a natureza;

11- Fazer mais duas tatuagens - elas já estão desenhadas na minha mente, só preciso de organização financeira para concluir cada uma.


12- Fazer uma viagem em família;

13-Preencher meus diários ( one line a day/ uma pergunta por dia/ diário de desenvolvimento das meninas)

14- Ter mais calma e paciência para alcançar os resultados e ter mais foco para chegar nos objetivos propostos e dentro dessa categoria coloco também acreditar que consigo chegar nos resultados esperados por mim, apenas é necessário dedicação.

15-Montar um guarda roupa profissional mais formal, porém simples e minimalista ( tenho muitas ideias em mente e quero escrever sobre isso assim que eu concretizar uma parte)

16-Fazer meus cuidados de tratamento facial uma rotina diária na minha vida, não importando onde estou;

17- Deixar crenças limitantes de lado e me permitir viver mais leve e mais feliz, me permitindo libertar e ser mais eu.

Como Manter essa lista em 2016 e reler sempre me fez buscar mais os meus objetivos, fiz da mesma forma este ano para quem sabe me inspirar mais e mais em alcançar as metas de 2017!

quarta-feira, 1 de março de 2017

De volta ao Diario de Educação a distancia, novas rotinas e implementação de novos hábitos


Sim as aulas já retornaram a quase um mês e eu não havia ainda nem começado os estudos, quanto mais um planejamento mais especifico de como estudar as matérias, porque uma coisa era real, eu já estava atrasada na agenda, não desejava o estresse vivido o ano passado e eu queria ter um aprofundamento melhor nas materias deste ano.

O primeiro passo que eu tomei foi ter ciência de quantas matérias eu teria esse semestre ( seis sendo que uma delas é o projeto e apenas possui as atividades a serem realizadas e com isso as pesquisas e o trabalho final proposto), arrumei o  material que eu iria utilizar (como ainda tenho os cadernos, vou usar eles mesmo) e passei a matutar em como eu iria fazer para funcionar esse semestre, me fiz uma proposta e vou tentar neste mês de março implementar e fazer funcionar, vamos ver se dá certo e funciona para todos em casa.

o segundo passo efetivo foi listar todas as minhas obrigações e ambiçoes para esse semestre , o ideal era sim faze algo mais amplo e para aos poucos poder implementar, mas veja bem, não sei se mencionei por aqui, mas tá tudo um caos sem precendentes e não que planejar a longo prazo seria ruim, mas até tempo para isso eu não disponho, primeiro preciso por literalmente ordem no barraco para depois atingir ao nível de controlar a longo prazo o que eu desejo e faze acontecer.


Sem esquecer que entre as minhas metas e ambiçoes está uma vida mais saudável e isso entra a academia e uma alimentação mais equilibrada possivel que pra mim, para aquilo que eu acredito é mais comida caseira e menos industrializados e isso também demanda tempo.

As filhas também estão precisando de uma rotina mais rígida, ir para cama mais cedo e ter tarefas para a idade delas (calma, nada de trabalho escravo - guardar os brinquedos, colocar as coisas que pegam no lugar) e acordando tão cedo para a escola, precisam ir para a cama mais cedo, porém elas só dormem acompanhadas e para isso adaptei uma rotina nova para mim que espero seriamente que funcione


Nova rotina no mês de Março:

04:00 Acordar e estudos

05:40 - acordar o Marido e tomar café de manhã em familia

06:00 - Acordar as meninas e arruma-lás para a escola

06:30- Partiu meninas escola e eu me arrumar para o serviço e ver o que posso por em ordem em casa

07:40 - Partiu trabalhar.

12:00 estudo das apostilas - Vou abrir mão do meu descanso longe do escritório para começar a trazer meus estudos junto comigo, preciso do acesso ao computador e só assim para estudar mesmo. Não gosto de ficar no escritorio na hora do almoço porque parece que eu não tive um desligamento do serviço, mas se quero tempo e produtividade, tenho que começara fazer isso para conseguir.

12:45 Almoçar

18:30 - Partiu academia

19:40 - Jantar - banho - tempo em familia

21:00 partiu dormir- Quero usar esse tempo de fazer elas dormirem ( sem tv, novas regras da casa) para atualizar as leituras "leves" de teor recreativo.


Dificilmente eu consigo ficar acordada quando coloco elas para dormir e por isso protelo a hora de irem para a cama (também confesso que fico com dó pois ficamos tantas horas separadas que se irem para cama antes disso, nem teria ficado com elas. Porém dormir tarde prejudica o rendimentos delas também e uma solução que irei testar será eu indo dormir junto com elas e acordando bem mais cedo para estudar e fazer aquilo que precisa ser feito no dia. Afinal só saberei testanto.


As viagens irão acontecer com mais frequencia este ano, preciso que as meninas curtam mais e dentro da nossa casa está ficando díficil, é mais fácil ir para o paraíso verde e deixar elas livres e brincando e eu carregar o que preciso comigo, do que elas em cima de mim por falta de espaço para brincar exigindo atenção já que estão entediadas.

Insanidade? Também acho, e ainda adiciona aí o blog e as redes sociais. Como disse é uma fase de testes e quero ver se dessa forma a vida fica mais fácil e sinceramente uma vida muita fácil não tem como sair do lugar também né.

E adiciona também a procura de uma casa nova, o curso de linguas que desejo fazer ( isso no segundo semestre, porém já estou pesquisando), aos poucos vou me ajustando e venho contar como estão as coisas na nova rotina e na faculdade.

Então até mais pessoal

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2017

Algumas coisas que não te contaram...

Que está tudo bem ficar de mal humor na segunda;

Que tudo bem só começar a sua semana na quarta;

Que tudo bem começar a dieta no meio da sua semana e não na segunda como todo mundo diz;

tudo bem parar de gostar de doces, deixar de tomar refrigerante e não comer salgadinho numa

festa infantil;

tudo bem nessa mesma festa se esbaldar no pastel de queijo porque por ele você tem paixão e

tara;

Tudo bem voltar pra faculdade, largar a faculdade e voltar de novo, tudo bem... Foi apenas

uma crise nesse relacionamento tão intenso que é a educação;

Tudo bem pensar um pouco mais em você e às vezes querer fazer aquele passeio no shopping

sem os filhos ficarem chorando a cada loja que você entra e ficar morrendo de saudades

enquanto passeia sozinha;

Tudo bem pintar o cabelo, cortar o cabelo e depois desejar que ele cresça logo e pintar

novamente para a sua cor natural, faz parte...


Tudo isso é normal, sim existe normalidade em você!

Se perdoe mais, se permita mais , restrinja aquilo que te faz mal, momentos introspectivos

existem, você não é obrigado a estar a fim de festas o tempo todo, mas não se feche o tempo

todo, há muita coisa linda lá fora esperando só o treinamento do seu olhar para enxergar a

beleza.

terça-feira, 14 de fevereiro de 2017

Ausência...

Na pressa de querer crescer, organizar e me tornar uma pessoa multitarefa, acelerei todo o meu ser, passei a querer o mundo em menos de um segundo, de buscar resultados de forma insana e de não aceitar quando eles não eram alcançados da forma que eu queria;

Na pressa por fazer, priorizava sim os resultados, buscava qualidade, mas não era prioridade porque o que estava pesando era o volume do fazer, a produção em números e apenas os números estavam significando algo;

Sentar para ouvir música era uma heresia, não que o tempo isso significasse uma perda de tempo, apenas porque parar para ouvir uma música significava parar para ouvir meus pensamentos;

Parei de rezar, parei de meditar, parei de me ouvir;

Só ouço os passos apressados em meio ao caos do dia a dia, o tic-tac do relógio me dizendo que mais uma vez estou atrasada para os compromissos, as pilhas de papeis esperando que algum dia eu tenha tempo para o "algum dia/talvez", pilhas de sonhos desmoronando ao lado das pilhas de roupas para passar e eu me pergunto: daquela pilha o quanto é meu?

Só enxergo os pedidos dos exames médicos acumulando, dos tratamentos sem continuidade, da intolerância ao glúten gritando a cada mordida no tão temido trigo a cada dia que estou sem tempo para fazer algo mais saudável.

Muitas lagrimas escorreram enquanto eu escrevia tudo isso, não sei o quanto escrever tudo isso foi bom, mas eu precisava por pra fora, são muitas coisas me cutucando, me machucando dentro de mim, pedindo para serem observadas e ouvidas, pedindo atenção para serem compreendidas.

Sinto saudades, muitas saudades, sinto dor também, uma dor que imunda todo o meu ser e não se aquieta, uma dor muito parecida com fome e com uma urgência de "estar e ser" que parece nem ao menos observar onde eu estou e tudo o que eu já fiz até agora.

Queria sair e buscar o meu "eu", mas ele está justamente aqui dentro de mim, sem ser ouvido. Queria parar tudo e encontrar o meu eu, conversar com ele, ouvir tudo o que ele tem a dizer, tudo o que ele poderia me ensinar e deixar ele ser o meu tutor, porém parar não é algo possível.

The "Show" must go on  .. . e assim continua o show sem intervalos ...

Doeu abrir mão da vaga de trabalho desejada, doeu abrir mão da viagem dos sonhos, doeu precisar de colo e não ter, doeu ser adulta quando o que queria era o colo da avó... Doeu não poder ir embora e ter que ficar, doeu por a máscara de satisfação... onde esse caminho poderá me levar a não ser o que eu já ando por todos os dias... o quanto do só isso tem nisso?

Até quando esse calor infernal irá me dominar e irei escolher deitar do que produzir? até quando me obrigarei a produzir? Até quando olharei tudo o que tenho para fazer e nunca cessarei a lista de pendencias domesticas acumuladas ...

Existe muita gratidão no meu dia sim, mas surgiram muitas dúvidas, é a vida clamando por mudanças e exigindo que eu cuide de mim, que eu regue mais o meu interior, não tem como prosseguir assim, não tem como escrever aqui, não tem como continuar a percorrer os mesmos caminhos todos os dias sem me ouvir.

E mais ainda, tenho gratidão por esse momento, que é ele que me põe a crescer e e mostra o que devo me modificar para prosseguir...

beijos a todos que sempre me mandam mensagens carinhosas pra mim, tudo é reinvenção e chegou a minha hora de escrever novas historias e conta-las por aqui

quinta-feira, 26 de janeiro de 2017

Primeiro dia sem as gurias

Oi todo mundo!

To sumida eu sei... mas logo atualizo tudo por aqui, sabe como é as crianças estão de ferias o que deixa o tempo corrido.

Uma grande dificuldade que eu encontro atualmente é a manobra que precisamos fazer quando as meninas não  tem aula, não sei se já mencionei isso antes, mas além das meninas estudarem em escola publica, eu trabalho em outr cidade, portanto os feriados não são os mesmo.

Hoje é um dia desses, as pequenas não tem aula hoje e amanhã é emenda do feriado e isso não se enquadra na minha realidade e dessa vez elas vão ficar com o vovô e com a vovó e detalhe são mais algumas cidades de distancia então elas irão dormir lá.

Essa será a primeira vez que ficaremos tão afastadas assim, coração de mãe já deu uns pitos de saudades, só de imaginar que à noite não terei meus chicletinhos agarrados o tempo todo em mim ( mãe = bicho tosco, pede descanso e quando ganha só fica pensando nos pitocos)

Será um vale night completo, para a saudades não bater forte, marido resolveu aproveitar e ir ao cinema sem precisar se preocupar com a hora para voltar. Confesso que está tudo meio nebuloso por aqui, estou com sono e isso aumenta muito meu mal humor, já estou com saudades, o tempo lá fora está com cara de  temporal e nesse momento a minha mente só me leva para quando ficavamos as tarde juntas as tres agarradas assistindo televisão.

Gosto de trabalhar, gosto do que faço, porém isso não quer dizer que eu não fique com saudades, que eu não desejaria hoje trabalhar via home office e estar mais perto delas nesse dia de folga, isso nao quer dizer que eu em algum momento do dia de hoje não esqueça que estarei sozinha à noite e só vá lembrar bem mais tarde e me cobre de como posso ter esquecido isso.

São coisas da vida, essa é a primeira vez, virão outras, tantas outras que chegará um hora que os pedidos para dormir na casa dos avós partirão delas mesma. Essa é só a primeira vez de muitas!