quinta-feira, 26 de janeiro de 2017

Primeiro dia sem as gurias

Oi todo mundo!

To sumida eu sei... mas logo atualizo tudo por aqui, sabe como é as crianças estão de ferias o que deixa o tempo corrido.

Uma grande dificuldade que eu encontro atualmente é a manobra que precisamos fazer quando as meninas não  tem aula, não sei se já mencionei isso antes, mas além das meninas estudarem em escola publica, eu trabalho em outr cidade, portanto os feriados não são os mesmo.

Hoje é um dia desses, as pequenas não tem aula hoje e amanhã é emenda do feriado e isso não se enquadra na minha realidade e dessa vez elas vão ficar com o vovô e com a vovó e detalhe são mais algumas cidades de distancia então elas irão dormir lá.

Essa será a primeira vez que ficaremos tão afastadas assim, coração de mãe já deu uns pitos de saudades, só de imaginar que à noite não terei meus chicletinhos agarrados o tempo todo em mim ( mãe = bicho tosco, pede descanso e quando ganha só fica pensando nos pitocos)

Será um vale night completo, para a saudades não bater forte, marido resolveu aproveitar e ir ao cinema sem precisar se preocupar com a hora para voltar. Confesso que está tudo meio nebuloso por aqui, estou com sono e isso aumenta muito meu mal humor, já estou com saudades, o tempo lá fora está com cara de  temporal e nesse momento a minha mente só me leva para quando ficavamos as tarde juntas as tres agarradas assistindo televisão.

Gosto de trabalhar, gosto do que faço, porém isso não quer dizer que eu não fique com saudades, que eu não desejaria hoje trabalhar via home office e estar mais perto delas nesse dia de folga, isso nao quer dizer que eu em algum momento do dia de hoje não esqueça que estarei sozinha à noite e só vá lembrar bem mais tarde e me cobre de como posso ter esquecido isso.

São coisas da vida, essa é a primeira vez, virão outras, tantas outras que chegará um hora que os pedidos para dormir na casa dos avós partirão delas mesma. Essa é só a primeira vez de muitas!

Um comentário:

Robson Matos disse...

É. Chicletinhos estão longe