sexta-feira, 28 de abril de 2017

No momento

Oi todo mundo

Estou nessa sexta feira, super cansada, com uma gripe querendo ultrapassar barreiras (afinal de 30° para 15° é muita diferença térmica para este corpinho que vos escreve) já dei umas resmungadas porque tinha esquecido que amanha tem aula e rola uma preguiça mortal de sair de casa e tomar uma condução. Passa rápido a aula tem só uma hora de duração e é uma delicia, a cada pronuncia nova que eu consigo fazer e a cada texto onde eu passei a reconhecer míseras palavras me fizeram transbordar de alegria. É aquela preguiça antecipada que não nos deixa levantar da cama, porém quando a gente vai lá e faz e pensa nossa e eu ia perder isso !

A cada aula de Frances eu penso que eu deveria voltar urgente a ler em inglês, vocabulário é tudo e é impressionante como as palavras estão me fugindo. O extremo cansaço mental no qual me encontro ultimamente também colabora, já que nem o meu português está saindo lá aquelas coisas, constantemente esqueço as palavras que quero usar e ao escrever preciso reler várias vezes para verificar se o texto está de forma culta ( no trabalho) e ao mesmo tempo de fácil compreensão.

A vida está um pouco estagnada, o que não é ruim, se não fizesse parte dessa estagnação o cansaço e a desorganização que está vindo dele, a verdade é que eu desejo muito descansar, mas a cada minuto que não faço uma coisa eu fico pensando no que deveria estar fazendo... o que me faz não descansar nada.

Estou indo, vou empurrando o que dá, vou lamentando o que vai caindo e se quebrando pelo caminho, mas não me importo contanto que as prioridades vão sendo supridas

A faculdade está abandonada, vou apagando incêndios conforme os cenários da crise vão se agravando, estou a uma semana das provas gerais,junto com o aniversário da Alice que é todo caseiro e feito a mão, no mesmo dia de um concurso público que eu queria muito ter me preparado, porém não foi dessa vez que eu cheguei perto de uma preparação passível de uma boa colocação.Perdi uma proposta para a mudança de casa e isso me deixou muito abalada, caí da escadaria do trabalho e me machuquei, com a lesão no joelho tive que me afastar da academia, voltei a engordar seriamente, deixei a dieta de lado e essa atitude me entristeceu, a cada coisa que eu comia que eu sabia que não iria nutrir meu corpo me punia porque eu sabia o que eu estava fazendo não era apropriado.

Acabei me afastando dos meus amigos, não gosto de  obrigar a ninguém conviver comigo quando estou negativa e com tanta coisa que eu não dava conta, como eu ainda iria fazer "hora " enquanto eu tinha mais incêndios para apagar?

Eu não fui criada para reclamar, eu fui criada para sobreviver e é isso que eu faço, mas hoje sei que essa crise "existencial" - apesar de eu não estar mais questionando a minha existência - é para algo melhor vir, para eu conhecer as minhas prioridades, medir as minhas forças e ver o quanto eu sou mais forte do que eu imagino e prosseguir nessa transformação constante da vida.

Então me perdoe se o blog está parado e as postagens bem escassas, estou escrevendo muito, porém não sei se o conteúdo que está ali escrito deve ser compartilhado, muito íntimo de reflexões que foram cuspidas em forma de letras que eu só percebi depois de reler o rascunho para verificar a coerência.

Agradeço a todas visualizações que o blog está possuindo e prometo que aos poucos ou trazendo mais coisas por aqui!

beijos e até mais!

Ainda ganharei o mundo, nem que seja o mundo dentro de mim!