Mostrando postagens com marcador blogagem. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador blogagem. Mostrar todas as postagens

domingo, 3 de setembro de 2017

Duas filhas tão pequenas dão trabalho, mas nem tanto trabalho assim.

Estou reescrevendo esse post, nele estava toda a minha alma e reflexão sobre ser mãe de duas filhas pequenas de idades tão próximas uma da outra e fiquei chateada quando na hora de salvar, por uma pane no sistema perder um post tão profundo assim, mas não me dei por vencida e cá estou eu colocando toda a minha alma neste teclado de novo, só para dizer umas boas verdades sobre esta situação e rezando para que não de problemas de novo.

Sempre me perguntam como eu dou conta de cuidar de duas crianças tão pequenas, perguntam se eu planejei, se eu dou conta e como faço com elas para fazer as coisas. Eu entendo a curiosidade, mas com o tempo essa pergunta começou a me cutucar sabe, são duas crianças pequenas sim, mas são crianças, o que eu faço quando fazem bagunça, eu arrumo e agora que são maiores eu as coloco para guardar junto comigo os brinquedos.

Se eu quero fazer algo diferente, preciso planejar e muito para conseguir efetuar tudo o que preciso fazer, as coisas de casa ficam muitas vezes bagunçadas eu aproveito a dádiva de poder ficar com elas e brinco muito, me jogo no chão , faço cabaninha e a criatividade rola solta, claro que dá trabalho, claro que cansa fazer tudo isso sozinha e que muitas vezes eu preciso clamar por paciencia quando tenho que fazer algo e passo o dia sendo interrompida e não consigo concluir meus projetos.

E o que mais eu iria fazer? Devolver? ah já sei não quero mais brincar disso e trocar a brincadeira? Colocar  numa caixinha e quando quisesse brincar de boneca de novo pegar? Não dá né, então não tem essa de como eu consigo, eu apenas levo um dia após o outro e aos poucos vou aprendendo um pouco mais dessa vida de mãe que muda seus desafios constantementes e estou aproveitando enquanto eu sou o centro do mundo das minhas pequenas porque em breve isso vai mudar, é assim que o mundo se transforma.

E sempre tem aquelas perguntas constrangedoras que eu não dou a resposta que gostaria para não ser tão grosseira: planejou? chega né? vai querer um menino? vão ter mais?

E resolvi desabafar ainda mais....

Não rotule uma mãe!

A algo que anda me incomodando muito ultimamente, os termos que muitas de nós usamos diariamente para rotular ações ou pessoas. Rótulos deveriam ser usados apenas para objetos e não para pessoas.

Como por exemplo rotular a mãe que não trabalha fora como mãe em tempo integral, como se a mãe que saí para trabalhar nesse período deixa de ser mãe.

Chega a ser maldade com as mães que trabalham fora de casa, seja por prazer profissional ou por necessidade financeira, ela não deixa de ser mãe por não estar em tempo integral com seu filho, se bobear pensa muito mais na sua criança, pois não tem seus olhos nas crias sempre que o coração pede.

Já fui criticada por médicos, plantonistas  e até atendentes do ambiente escolar! Já saí arrasada desses lugares que só sabiam julgar a minha escolha sem conhecer as minhas necessidades. Por isso digo filho não é fácil, não importa se são um, dois, três ou quantos demais queira... a pior parte é lidar com a sociedade e saber que no fim, nosso filhos são feitos pra eles e não para nós.

Até mais

segunda-feira, 16 de maio de 2016

Cinco maneiras de perturbar uma mãe

Quer perturbar uma mãe e não sabe como, vamos lá hoje vou te dar cinco dicas básicas e infalíveis e sem chance de errar.

1 ) Não a deixe dormir - principalmente se ela estiver com dor de cabeça, cante diversas músicas e peça para ela cantar infinitamente o mesmo refrão, derrube os brinquedos no chão, use a imaginação para impedir que o ato de dormir não aconteça;

2) Na hora das refeições separe todos os ingredientes do prato e vá deixando por último aqueles que menos aprecia, coma demoradamente só para atrasar e não esqueça de olhar fixo nos olhos da mãe nesse momento

3)Ainda sobre refeições - vá para casa de algum parente menos afetuoso da mamãe e coma tudo aquilo que você nega de comer em casa porque diz que não gosta.

4) Peça para ir ao banheiro a todas as vezes que ela estiver usando ou assim que ela colocar a comida no prato.

5)Essa é a melhor de todas - peça para ligarem da escola, só de aparecer o numero no identificador de chamadas o coração dela irá disparar, se disser que está com febre então ... sua mãe não sossegará até por as mão na sua testa e os olhos nos seus só para ler você e saber se está tudo bem.

Sim minha gente, é para ser sarcástico e um tanto irônico, mas essas situações sempre perturbam uma mãe e a ultima fará com que ela não trabalhe mais direito naquele dia...é boas dicas, mas não façam isso em casa rs 

Até mais.

domingo, 15 de maio de 2016

Crônicas da vida real: Mais um sábado à noite

Sabe aquele dia sonso, mas sonso, como um café requentado de boteco?

Sim eu poderia dizer que esse sábado estava igual a café requentado, sonso, sem graça e sem sabor adequado e nada me agradava e muita coisa dando errado ao mesmo tempo.Me vi naquele momento me forçando a ficar alegre, fingindo empolgação que estava bem longe de ser real.

E porque eu precisava ser na aparência facial completamente ao contrário daquilo que estava no meu íntimo?

Desde quando me incubei na ditadura dos ser feliz a todo momento?  Culpa das redes sociais onde o gramado é tão verdinho sempre?  Porque tinha ser feliz ou triste no limite?

Passei muito tempo daquele dia pensando, com aquela cara de estou com fome e ninguém me oferece nada sem saber muito bem ao certo em como mudar aquela cara de azeda e em como mudar o sábado sonso, a unica coisa que eu tinha certeza é que  eu não iria estampar um sorriso que eu não tinha a mínima vontade de esboçar.

O que havia mudado entre querer ser feliz, ser feliz e apenas viver calmamente a vida, fazendo boas noticias, aceitando as tristezas e apenas ficando quieta e calma quando assim desejasse... porque já viu uma pessoa quieta... as pessoas cutucam, provocam, mexem... não deixam quietas com o pensamento, ou porque não observando as nuvens passar.

Aceitei o morno, o sonso, aceitei o choro, lavei o rosto e não sorri, Fui para a cozinha fazer um café fresco, porque pelo menos o café podia ser muito bom!

*Crônicas de uma vida real são pequenos textos escritos através da observação, podem ser histórias reais ou não...

sexta-feira, 8 de abril de 2016

Sobre ficar sem comprar e um guarda roupa desfalcado.

Oi todo mundo

Com mais um desafio de ficar sem comprar precisei revisar seriamente meu guarda-roupa para ver o que eu tinha e como eu usaria as minhas peças do guarda roupa que estava cada vez mais magro. Veja bem a um tempo que estou reduzindo meu consumo, por não sentir necessidade de sempre estar com algo novo no armário e cada vez que eu leio, pesquiso, estudo sobre organização e minimalismo, sempre acho que tenho demais, mas ainda não cheguei ao nível de ter todas as minhas roupas e acessórios caberem numa unica mala.

Quando engravidei da primeira vez eu já estava com poucas roupas e precisando renovar o guarda roupa e decidi que compraria o mínimo possível e enquanto as minhas roupas servissem em mim, elas eram o que eu continuaria usando, para dizer que eu não comprei nada, eu comprei duas bermudas jeans próprias para gestante ( por uma bagatela de R$ 25,OO cada em alguma lojinha de banca no Brás em São Paulo) e uma blusa rosa bebê bem larguinha e cheia de pregas que permitiram meu barrigão crescer .

35 semanas na segunda gravidez, uso até hoje essa blusa


Quando engravidei novamente eu não havia comprado mais roupas para mim, estava emagrecendo e queria emagrecer mais e havia tomado a decisão que iria esperar mais para comprar novas roupas e com a segunda gravidez o intervalo foi pequeno, utilizei as mesmas roupas e não adicionei nada novo.

Esse vestido continua ótimo, tecido de boa qualidade.

Com isso as minhas roupas estão desgastadas, algumas estavam poidas e quando iniciei meu primeiro projeto de não comprar, meu armário já andava bem desfalcado. Não realizei mais compras para repor e ainda sim vi que tinha bastante roupa para continuar com o projeto.

Veja bem quando descobri o armário cápsula, eu comecei a estudar as roupas que eu tinha, o que eu sentia por cada peça e se eu realmente iria usá-la, em seguida veio a limpa, algumas sacolas e mais sacolas se foram e o guarda roupa não foi ficando mais magro, mas também não estava tão recheado e versátil assim.

A primeira providencia foi experimentar a maioria das roupas ( deveria ter sido todas.mas confesso que as roupas de frio não me convenceram a ser experimentadas com este calor todo) vi o que servia em mim e as roupas que precisavam de conserto e eram muitas, estavam grandes na cintura ou precisam ajustar a barra das calças e assim foi até ter uma pilha de roupas para arrumar, para ficar e para doar.

Agora eu iniciei um segundo desafio de ficar sem comprar, fico pensando se foi a melhor hora para isso, seis meses são muito tempo para um guarda roupa desfalcado, porém meu objetivo é me conhecer melhor e quando voltar a comprar saber meu estilo e voltar a comprar de forma consciente e que as peças combinem entre si.

Porque algumas lições eu já aprendi com esses pequenos desafios que eu já fiz:

- Não adianta comprar uma peça que eu gostei se ela não vai combinar com nada que eu tenho, só irá me gerar mais compras e mais coisas em casa, porque ou a peça vai ficar guardada ou terei que providenciar peças que combinem para poder usar;

- Promoção só é bom se eu conheço o que eu gosto, o que eu quero e sei o que comprar, preços mais em conta nos levam a um consumismo desenfreado e uma grande pergunta de o porque comprei se nem cabe mais nada ? Algo muito importante para pensar na hora de resistir essas grandes tentações

- Qualquer projeto ou desafio só vale a pena se for por você e para você e não por modismo e não por uma rede social ou um blog, eu uso os desafios para me conhecer e testar coisas novas e teorias, se vale a pena faça também, escolha um que a ideia final ( o porque de fazer lhe agrade) se não gosta , não faça só porque todo mundo está fazendo não vale a pena

Bom gente eu vou ficando por aqui essa pequena reflexão veio logo após uma pequena crise de eu não tenho nada para vestir nessa festa que eu vou e logo em seguida pensar uau se eu me mudasse hoje eu teria muito o que fazer para guardar todas as roupas e arrumar tudo na casa  nova então eu tirei a maioria das roupas até achar uma combinação bacana para usar e refleti sobre o meu guarda roupa e resolvi escrever sobre como foi a caminhada do ficar sem comprar e meu guarda roupa até aqui para me lembrar porque mesmo gostando de moda e claro de comprar escolhi fazer um projeto desses pra mim.

Beijos e até mais





quarta-feira, 2 de março de 2016

Mais um desafio de ficar sem comprar

Oi Todo mundo tudo bem?

Estou iniciando mais um desafio sem comprar e dessa vez será mais complexo, pelo menos para mim. Ficarei seis meses sem comprar : Roupas, acessórios e sapatos e o desafio só se aplica a mim. A única exceção que farei aqui será caso eu precise de roupas para o trabalho, caso as minhas não sejam compatíveis com o ambiente e em caso de festas  que exijam trajes específicos e isso também se eu não conseguir emprestado.

O desafio compreenderá entre os meses de março a agosto de 2016, os posts serão as sextas feiras e quinzenalmente.

Meus objetivos com esse desafio é:

- Promover meu auto conhecimento e o que me leva a comprar: necessidade, desejo de satisfação pessoal, hábito comportamental, suprir outras necessidades através das compras. Com isso espero conhecer melhor meus hábitos;

- Economia doméstica : Tenho roupa suficiente para me suprir, então porque gastar com mais roupas? Cada vez mais penso no consumo consciente de bens, o quesito financeiro é importante, porém penso também no que deixo de empregar para outros fins, gastando com mais coisas que ficaram apenas guardadas em cima de mais coisas e sem estarem todas em uso e circulando;

- Circulação de Energia : me incomoda muito ter coisas que não estão em uso, tenho o que preciso e vou me focar isso, não quero que esse desafio se torne um castigo, pelo contrário, quero mostrar para mim que eu tenho o suficiente e que posso usar meu tempo para comprar e o dinheiro para outros projetos;

-Ser o exemplo: Quero ensinar as minhas filhas a importância de qualidade ao invés da quantidade, conscientizar sobre o dinheiro e compras, que podemos viver com o que temos e algumas outras coisas que envolvem compras, dinheiro, minimalismo, materialismo. Para ensinar essas lições eu preciso aprender a viver essas lições e os exemplos são as melhores formas de ensino.

-Exercitar a criatividade, misturar combinações;

- Quando voltar a consumir, vou estar muito mais atenta a qualidade do que desejo e a consciência do que realmente preciso.

E aí alguém já pensou em participar de desafios que envolvessem ficar sem comprar algo?

sexta-feira, 29 de janeiro de 2016

60 dias sem comprar #5

Quando parar de comprar faz todo sentido

Nunca me considerei uma compradora compulsiva, controlava o valor das compras e as necessidades das mesmas, mas sempre tem aquela continha de gostei ou estava em promoção.

Claro que comprar roupas, cosméticos e acessórios me deixa feliz,gosto de ter opções na hora de me arrumar e gosto de me sentir bem ao sair, mas ficar sem comprar nesses 60 dias tem sido muito mais interessante do que eu imaginava.

Sim teve compras, Alice perdeu seu brinquinho e eu comprei um par de brincos novos para ela e um par de presilhas para o cabelo que ela também estava precisando (como perdem essas miudezas).

Foi gostoso escolher com carinho e sem pressa o que eu iria comprar, já que não iria levar a loja toda ( coisas baratinhas assim costumam ser vilões nessas horas) e pegar apenas o que eu realmente precisava.

Antes eu teria comprado muito mais e possivelmente iria me arrepender depois, não comprar sempre faz as compras serem muito mais conscientes e bem pensadas. Compras conscientes é igual a menos arrependimentos e menos objetos acumulados desnecessariamente.

Não é fácil, mesmo não tendo dinheiro sobrando, controlar cada compra, não sair do script e manter a calma de outras maneiras que não comprando pode ser bem mais difícil do que parece. (Quem nunca comprou algo quando estava chateada para se sentir melhor? Nem que seja um brigadeiro, bombom?) 

E o efeito rebote?

Quando  o projeto de ficar sem comprar acabou eu voltei a fazer as minha compras, muito mais cuidadosa do que antes, analisando a necessidade, o que eu realmente queria comprar e foi difícil segurar o efeito contrario, o de comprar sempre! 

Talvez o período de ficar sem comprar tenha sido muito pequeno e ele não tenha reprogramado meu desejo por compras , já tem alguns anos que eu seguro o desejo de comprar e fico pensando se cada compra vale a pena ao ponto de muitas vezes quando eu volto para comprar o item que eu queria, ele simplesmente ter esgotado.

Eu escolho dias para comprar e isso ajuda muito, se por exemplo, eu saio hoje e não escolhi como dia para comprar e sim como dia de "andar por aí" eu não compro nada, mesmo que eu tenho  o dinheiro para aquela peça em promoção.

É difícil ainda viver somente com compra conscientes, porém o projeto foi realizado com louvor e em uma época suscetível a compras ( aniversários e mais aniversários) e impactou até em como eu realizei o aniversário da filha caçula, pesquisei muito e desisti de alguns itens por achar muito fúteis

Quando o aniversário acabou fiquei olhando a montanha de lixo produzido e me achei muito incomodada com isso, quero ver se no ano que vem eu modifico isso. Um dos itens que eu desejo é diminuir as embalagens e olha que eu ja uso o básico para docinhos.

Foi um curto período e não quero fazer disso apenas um desafio esporádico, quero mesmo transformar isso em uma lição para diminuir o consumo irracional.

sexta-feira, 6 de novembro de 2015

Usando o evernote para escrever posts.


Oi todo mundo, hoje eu vou falar de um programa até que muito conhecido na internet e que está se tornando meu companheiro de blogagem: o Evernote.

Eu perdi alguns posta escritos no rascunho do blog, na hora de salvar travava ou dava erro na página e quando ela restaurava não tinha salvado nada do que eu tinha escrito, perdi alguns posta usando o aplicativo para Android do blogspot, estava escrevendo e precisei largar tudo por algum motivo materno, o tablet bloqueou por inatividade e quando liberei estava em branco. Fiquei muito chateada porque a maioria dos posta escritos eram aqueles de inspiração momentânea, na qual não tinha um rascunho em papel ou um organograma das idéias a serem escritas.

Com isso adotei um conselho que meu marido sempre me dava e eu não seguia por pura preguiça, comecei a escrever rascunhos dos meus posta no evernote. Assim caso eu perca alguma coisa na montagem final do post, ainda terei o grosso do post escrito e como sempre estou com tablet ou celular próximo, terei mais rascunhos escritos me esperando para quando sobrar um tempinho para escrever no computador.

Ainda está um pouco desorganizado a estrutura do evernote, estou estudando o método de organização gtd para aprimorar esse lado meu e espero em breve poder começar a falar melhor desse aspecto de como se organizar para blogar utilizando essa ferramenta, já que nela posso usar lembrete e até tirar fotos para o post e deixar tudo junto num único local .

Como tem sido a organização no Evernote

Tenho um caderno do blog onde tem a nota posts e ali escrevo vários rascunhos de posts aleatórios, conforme a inspiração acontece vou registrando o máximo de informações que eu consigo registrar naquele momento. Denominei essa nota como postagens em andamento 

Se eu possuo uma post muito específico cheio de fotos e informações, abro uma nota para ele. Eu costumo usar uma nota exclusiva para posts onde pesquiso muitas informações e preciso guardar a fonte, assim não misturo com os demais posts em andamento e não me perco quando retorno naquela postagem para finalizar.

Com a história de usar o Evernote para o blog, acabei iniciando o processo de organizar o Evernote e iniciar por ele o processo de organização gtd, é algo muito complexo e não é algo que se implementa de um dia para o outro,mas quando ativo se torna a peça coringa da organização

E o mais legal é que se eu estou na rua posso fotografar e já escrever o post do blog sem perder as referencias e informações que eu preciso para deixar o post mais completo, coisa que não acontecia antes porque escrevia em varias papeis e depois não achava as informações que eu precisava para finalizar.

Se desejarem mais informações de como usar o Evernote e como eu estou organizando para o blog e para o dia a dia, me deixe nos comentários que eu terei o prazer de responder.

PS. No dia que comecei a usar o evernote, consegui deixar três postagens prontas, só aguardando eu passar para o blogspot possibilitando eu organizar melhor os agendamentos dos posts.