Mostrando postagens com marcador casamento ; filhos ; emponderamento. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador casamento ; filhos ; emponderamento. Mostrar todas as postagens

domingo, 3 de setembro de 2017

Duas filhas tão pequenas dão trabalho, mas nem tanto trabalho assim.

Estou reescrevendo esse post, nele estava toda a minha alma e reflexão sobre ser mãe de duas filhas pequenas de idades tão próximas uma da outra e fiquei chateada quando na hora de salvar, por uma pane no sistema perder um post tão profundo assim, mas não me dei por vencida e cá estou eu colocando toda a minha alma neste teclado de novo, só para dizer umas boas verdades sobre esta situação e rezando para que não de problemas de novo.

Sempre me perguntam como eu dou conta de cuidar de duas crianças tão pequenas, perguntam se eu planejei, se eu dou conta e como faço com elas para fazer as coisas. Eu entendo a curiosidade, mas com o tempo essa pergunta começou a me cutucar sabe, são duas crianças pequenas sim, mas são crianças, o que eu faço quando fazem bagunça, eu arrumo e agora que são maiores eu as coloco para guardar junto comigo os brinquedos.

Se eu quero fazer algo diferente, preciso planejar e muito para conseguir efetuar tudo o que preciso fazer, as coisas de casa ficam muitas vezes bagunçadas eu aproveito a dádiva de poder ficar com elas e brinco muito, me jogo no chão , faço cabaninha e a criatividade rola solta, claro que dá trabalho, claro que cansa fazer tudo isso sozinha e que muitas vezes eu preciso clamar por paciencia quando tenho que fazer algo e passo o dia sendo interrompida e não consigo concluir meus projetos.

E o que mais eu iria fazer? Devolver? ah já sei não quero mais brincar disso e trocar a brincadeira? Colocar  numa caixinha e quando quisesse brincar de boneca de novo pegar? Não dá né, então não tem essa de como eu consigo, eu apenas levo um dia após o outro e aos poucos vou aprendendo um pouco mais dessa vida de mãe que muda seus desafios constantementes e estou aproveitando enquanto eu sou o centro do mundo das minhas pequenas porque em breve isso vai mudar, é assim que o mundo se transforma.

E sempre tem aquelas perguntas constrangedoras que eu não dou a resposta que gostaria para não ser tão grosseira: planejou? chega né? vai querer um menino? vão ter mais?

E resolvi desabafar ainda mais....

Não rotule uma mãe!

A algo que anda me incomodando muito ultimamente, os termos que muitas de nós usamos diariamente para rotular ações ou pessoas. Rótulos deveriam ser usados apenas para objetos e não para pessoas.

Como por exemplo rotular a mãe que não trabalha fora como mãe em tempo integral, como se a mãe que saí para trabalhar nesse período deixa de ser mãe.

Chega a ser maldade com as mães que trabalham fora de casa, seja por prazer profissional ou por necessidade financeira, ela não deixa de ser mãe por não estar em tempo integral com seu filho, se bobear pensa muito mais na sua criança, pois não tem seus olhos nas crias sempre que o coração pede.

Já fui criticada por médicos, plantonistas  e até atendentes do ambiente escolar! Já saí arrasada desses lugares que só sabiam julgar a minha escolha sem conhecer as minhas necessidades. Por isso digo filho não é fácil, não importa se são um, dois, três ou quantos demais queira... a pior parte é lidar com a sociedade e saber que no fim, nosso filhos são feitos pra eles e não para nós.

Até mais

domingo, 29 de maio de 2016

Dia de cronica? opa hoje não

Eu sei que disse que aos domingos seriam dias de cronicas, mas hoje resolvi compartilhar de uma reflexão que me ocorreu depois de uma semana muito pensativa  e de ponderar muito sobre a vida em si.

Lembra que eu escrevi que estava um pouco sem graça e sem sal? Uma das questões que descobri foi não respeitar que eu mudei e quem eu sou. E isso doeu profundamente em mim, não vou aqui levantar muitas questões polemicas sobre preconceitos, porém vou dar um exemplo tão bobo que caberá para qualquer coisa. Pensa que você gosta de uma música (aqui coloque um estilo/cantor que couber), aquela musica que te vibra a alma, que  te deixa  feliz, que ó de ouvir você tem vontade de sorrir e se mexer, imaginou? Agora guarda essa sensação de felicidade e espontaneidade, pois bem todos acham essa musica brega, feia, chata e você para fazer parte dessa sociedade que lhe cabe nega essa paixão musical e com isso a alegria respectiva que a musica lhe proporciona.

Agora estenda esse exemplo para a roupa que lhe deixa feliz e confortável, para o amor que aquece teu coração,para o cabelo que te alegra ( ai meu Deus porque as pessoas tem  que cutucar o cabelo alheio, deixa ela ser  cacheada,tingida, alisada, curtíssima pixel, cabeludo, black power, armada e nada controlada, frizz em paz), se ela é gordinha, marombada, definida, magrela, se ela é ateu, se ela é religiosa.

Já pensou ter que esconder constantemente aquilo que faz sua alma sorrir para caber numa sociedade hipócrita que também tem seus escondidos só por medo de revelar aquilo que ama? 

Não dá, não dá, não dá. Por isso adoecemos tanto, brigamos e nos escondemos e com isso não damos liberdade para a nossa mente evoluir, mudar ou até permanecer como está (se você é gordinho/alisado/magro/ ou qualquer outra coisa e está saudável e bem consigo mesmo...porque mudar?)

Com isso eu vi o quanto as outras pessoas sofrem, eu não consigo imaginar a dor de amar alguém que para alguns familiares, sociedade possa lhe ser proibido, feio, pecaminoso. Portanto o blog mudou, isso já deve ter percebido, não consigo falar só de amenidades, de o que usar com bota (isso nunca consegui, já deu para perceber né, uma pena já que dá tanto lucro para alguns) , vou falar aqui o que eu sinto, quem eu sou de verdade, da minha busca espiritual, dos meus dilemas de mulher, dos meus livros que tanto amo, das minhas blusas diferentes que me divertem quanto uso, dos jogos de video game que eu curto, dos filmes (poser) que eu assisto e já quero ser fã, o blog talvez continue  na surdina dentre outros tantos, mas leios uns desse mesmo jeitinho e são eles que me alegram, me distraem, me trazem novidades para pesquisar, portanto esta é a cara nova dele. 

Até mais.

terça-feira, 19 de janeiro de 2016

Tag : 16 Metas para 2016

Oi todo mundo

Hoje eu vim aqui só para dividir algumas metas que eu quero para 2016, não são todas as minhas metas e meus planos para este ano, pois eu ainda estou trabalhando nisso com calma e foco, mas como todo bom começo de ano não pode faltar a tal listinha, resolvi dividir aqui o que eu pretendo de metas para o blog e com isso fazer um acompanhamento com vocês das coisas que eu realizarei este ano.


Ler mais livros, cinco pelo menos - sim a meta é baixa, não quero colocar um numero exorbitante aqui e não conseguir realizar depois e com isso me decepcionar, o fundamental em escrever metas é ser realista e trabalhar para que elas aconteçam.

Fazer mais passeios ao ar livre com as meninas - tem alguns lugares bem bacanas pela região e quero me ajeitar para que esses passeios aconteçam com uma frequência maior. 

Me dedicar mais ao blog - obvio né... Quero que esse cantinho seja mais cuidado por mim, não é meu trabalho e nem a minha obrigação, mas é meu hobby querido e quero ter mais tempo para aprender a mexer mais por aqui

Colocar o GTD em pratica - Terminei o ano de 2015 com o curso do nível 1 em GTD e o ano de 2016 em sua primeira segunda feira útil dando a continuidade ao curso, Não quero que seja apenas algo no papel eu quero colocar em pratica tudo o que estou aprendendo e desenvolver melhor a minha vida .

Fazer mais uma tatuagem - Essa é a mais ousada e quero que seja de aniversário, quero fazer num local legal e para isso preciso de dindim, guardarei para isso, apesar de não ser o principal, gostaria de ver esse item riscado da minha lista no fim do ano;

Ir na Bienal de livros em São Paulo- Será em agosto e as meninas irão conosco com certeza, a ultima eu estava no finzinho da gravidez da melissa e não arrisquei a ir.

Tirar mais fotos - Tenho desapegado da câmera e do celular , vivendo mais o momento sabe, só que fui do 8 a 80, quase não tenho fotos do Natal e não tirei nenhuma foto no Ano Novo, isso acontece com vários passeios, quero ter alguns registros para ilustrar as historias para as nossas meninas no futuro

Estudar inglês em busca da minha certificação - Terminei o curso e na época não me senti preparada para buscar a certificação, não creio que no ano de 2016 eu vá fazer o teste, pois ele tem um custo e tenho outras prioridades, mas quero me preparar bem para em 2017 estar pronta para o teste e assim ter a minha comprovação formal que ateste meus conhecimentos

Arrumar um espaço para o meu escritório - mesmo que seja a opção de um escritório móvel, preciso ter meu material de fácil alcance e não precisar ficar cansado as coisas todas as vezes que eu estou sentada em algum lugar trabalhando.

Enquadrar as fotos das meninas - tenho cinco fotos bem grandes e estão esperando serem enquadrados a muito tempo ( uma a quase 4 anos) e tenho receio que estraguem por estarem enroladas, quero muito enquadrar e exibir essas fotos de momentos tão especiais na nossa família.
Fazer o quadro dos pesinhos da Melissa

Revelar as fotos dos álbuns das pequenas - fiz o diário de crescimento delas e até agora não revelei nenhuma foto!

Ser mais organizada - sei que estou no caminho certo, mas eu procrastino muito e isso atrapalha um pouco, a motivação existe, mas preciso trabalhar mais isso de deixar para depois, mais um motivo de eu ter escolhido para fazer o curso de GTD, afinal não tinha como fazer o curso e não aplicar os conhecimentos

Brincar mais com os meus jogos de tabuleiro - incluir a família num momento mais relax e longe do smartphone

Ser mais positiva e acreditar mais em mim - tenho muitas dificuldades em crer que as coisas darão certo, isso me ajuda a me precaver e revisar sempre as coisas, porém tudo se torna estressante demais até que se concretizem pois nunca acho que darão certo.

Aprender a lavar roupa branca - sério isso viu, sou uma negação, gosto de roupas brancas, mas não sei cuidar delas e por isso é a que mais fujo de comprar, mesmo gostando da peça..

Realizar todas as metas acima e criar mais metas - trabalhar para que todas as metas que eu descrevi se tornem realidade essas e as outras pessoais que ainda estão tomando forma e tornar isso rotina, pensar organizar e fazer acontecer!

E as suas metas, já pensou nelas e em como torna-las realidade?



domingo, 9 de agosto de 2015

Decidindo a Maternidade por meio de listas :o tal prós e contras de qualquer ação a ser tomada

Esse post veio de uma forma bem natural. Numa lista de prós e contras em alguma atitude que eu deveria tomar em alguma atividade no meu dia.
Toda a minha vida consciente foi decidida assim por meio de listas, algumas bem longas outras nem tanto assim. Quantas vezes eu já tinha chegado ao veredito final e mesmo assim não segui o meu próprio conselho (aquele ali sugerido na listinha) e depois me arrependi dizendo a mim mesma nunca mais desobedecer a lista.
A maternidade chegou e as listas só intensificaram, com elas mais anotações do que fazer, todos os sites possíveis de maternidade ensinando como fazer a maternidade corretamente ( sério mesmo que eu li isso?) E muito mais que né. .. É melhor nem mencionar.
E no meio dessas mil listas tem uma doce menininha que neste momento nem deveria estar acordada ( meu cérebro já fez todas as anotações de como ela estar ainda acordada não é saudável,  mas e aí ela está com seus olhinhos abertos me encarando e chamando mamãe quando seus olhinhos não a obedecem e teimam fechar)
Essa doce menininha ganhou uma bela irmãzinha e juntas elas me mostram que muitas vezes as listas precisam ser deixadas de lado, ouvir o instinto materno (suprimido muitas vezes em baixo de mil listas, livros, sites e reportagens televisivas). Sentar no chão e rolar (você é a mãe! Se comporte e sente no sofá e não fique rolando no chão,  onde ficará sua autoridade? ) comer um doce antes do jantar, dormir agarrada com os pais naquele dia que só um abraço pode acalentar ( me diz uma coisa, se nós adultos procuramos cia para nos deitar,  sem maldade neste termos por favor,  porque desejar que as crianças sempre durmam sozinhas?Não compreendo isso).
Foi aí que essa mãe que vos escreve viu que as listas sempre existirão dentro de mim,  mas é necessário deixar fluir a maternidade com um pouco mais de naturalidade.  Sim eu sou muito exigente na educação das minhas pequenas, mas rolo muito no chão dando asas à imaginação das minhas exploradoras.
Até mais!
Esse post foi publicado primeiro em buscandoamaternagemconsciente 26/04/2015